09 Dezembro 2021, 04:33

Governo de Macau pede que crianças e adolescentes não vejam série “Squid Game”

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Macau, China, 18 out 2021 (Lusa) – O Governo de Macau apelou hoje a crianças e adolescentes para não verem a série televisiva sul-coreana “Squid Game”, “que contém muita violência, sangue, elementos assustadores e valores distorcidos que envolve uma violência horrenda”.


As autoridades de educação do antigo território administrado por Portugal avisaram ainda que o fenómeno de imitação de algumas cenas tornou-se uma tendência global e, por essa razão, instou os jovens “a não imitarem a conduta violenta”.


“Se crianças e adolescentes virem as partes violentas e sangrentas do drama, serão afetados psicologicamente e poderão mesmo imitar o comportamento violento no drama, e os seus valores distorcidos serão enterrados nos seus corações”, lê-se no comunicado.


Vários países europeus, como a Bélgica, o Reino Unido ou a Espanha já lançaram alertas relativamente ao aumento de violência nos recreios das escolas, devido à imitação de algumas cenas da série sul-coreana, disponível na plataforma Netflix e que não é indicada para menores de 16 anos.


As autoridades aconselharam ainda os pais a contactar o seu conselheiro escolar para assistência ou o Centro de Psicologia da Educação e Educação Especial do Gabinete de Educação e Assuntos Juvenis para aconselhamento “se os seus filhos estiverem perturbados ou em sofrimento emocional devido à série dramática em questão”.


No domingo, em Portugal, a Guarda Nacional Republicana (GNR) disse estar “muito atenta ao fenómeno” da série “Squid Game” e aos efeitos que está a ter nos mais novos, sublinhando que vai continuar a reforçar os conselhos junto da comunidade escolar.


O alerta surge em comunicado, no qual a GNR esclarece que, no sábado, uma página não oficial da força de segurança lançou, através das redes sociais, “alguns conselhos e advertências aos pais” relativos à série, que retrata jogos infantis e é um fenómeno de audiências e popularidade, sobretudo entre os mais novos.



MIM (JGS) // LFS


Lusa/Fim

Tags

Sem comentários

deixar um comentário