07 Setembro 2022, 16:23

Governo pede contribuição de todos para reduzir sinistralidade rodoviária

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

A secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, apelou hoje à contribuição de todos para reduzir a sinistralidade rodoviária e chegar a “zero mortos”, porque “morrer na estrada não é uma inevitabilidade”.

Patrícia Gaspar participou hoje, na A1 (portagens de Alverca), numa ação de fiscalização e sensibilização rodoviária da GNR, no âmbito da operação “Natal e Ano Novo 2021”, quando previsivelmente aumenta o trânsito rodoviário devido à aproximação da passagem de ano.

A governante referiu-se a esse aumento de trânsito, decorrente da época, razão que levou o Ministério da Administração Interna a envolver todas as suas forças e serviços de segurança, incluindo a Proteção Civil, na operação de Natal e Ano Novo.

Mas, acrescentou, apesar da “operação importantíssima” da GNR de hoje, inserida numa mais vasta que começou antes do Natal, para dar visibilidade à questão da segurança rodoviária, todas as pessoas têm de “contribuir para a redução dos índices de sinistralidade, que continuam elevados apesar de uma redução gradual” nos últimos anos.

A operação “Natal e Ano Novo 2021” foca-se nos objetivos habituais, relacionados com o excesso de velocidade, uso do cinto de segurança ou condução sob efeito de álcool, mas sobretudo, disse Patrícia Gaspar, na sensibilização e no alertar para os riscos e necessidade de cumprimento das regras.

“Porque só assim é que conseguiremos alcançar aquele que é o nosso grande objetivo, muito ambicioso, mas que é chegar às mortes zero na estrada. Morrer na estrada não é uma inevitabilidade, o facto de irmos para a estrada com um automóvel não significa que tenhamos de ter um acidente, que tenhamos de falecer, que tenhamos que sofrer danos muitas das vezes irreversíveis”, pelo que essa sensibilização “é uma estratégia de médio e de longo prazo, mas para a qual todos temos de dar um contributo”, disse.

Na operação estão envolvidos, além da GNR e PSP, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária e a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, que colocou “um dispositivo de prevenção e visibilidade nas ruas, em 123 pontos estratégicos do país”, explicou Patrícia Gaspar.

A secretária de Estado lembrou que este ano as forças de segurança também têm a missão de garantir o cumprimento das normas de segurança definidas para o período da passagem de ano relacionadas com o novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, e apelou ao cumprimento dessas regras.

A “Operação Natal e Ano Novo 2021” decorre até dia 02 de janeiro e tem como alguns dos objetivos combater a criminalidade e intensificar o patrulhamento rodoviário nas vias de maior tráfego, através do reforço de patrulhamento.

Na segunda fase da “Operação Natal e Ano Novo 2021”, de 23 a 26 de dezembro, a GNR registou 752 acidentes, quatro mortos e 19 feridos graves nos quatro dias, tendo também contabilizados 72 detenções e mais de 3.400 contraordenações nas ações e fiscalização nas estradas.

Tags

Sem comentários

deixar um comentário