04 Julho 2022, 01:15

Governo: PS salienta “sucesso” no percurso de António Costa na União Europeia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

 


Lisboa, 07 abr 2022 (Lusa) — O PS dedicou hoje o seu primeiro discurso de fundo no debate do Programa do Governo, no parlamento, ao percurso do primeiro-ministro na União Europeia, desde 2016, até agora, considerando que foram anos marcados pelo “sucesso”.


Esta intervenção foi proferida pelo antigo ministro e eurodeputado socialista Capoulas Santos, o que levou o deputado do Chega Pedro Frazão, no final, a comentar que “o namoro de António Costa por um cargo europeu também paira na Assembleia da República e não apenas na Presidência da República e em Bruxelas”.


Capoulas Santos destacou que, desde que assumiu as funções de primeiro-ministro, António Costa conseguiu fechar sem penalização para Portugal um novo Quadro Financeiro Plurianual (Portugal 2030) e estar na linha da frente das negociações para o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).


“Sem estes avanços não estaríamos aqui a discutir este Programa do Governo”, observou o antigo ministro da Agricultura, numa alusão às avultadas transferências de dinheiros europeus previstas para os próximos anos.


Na sua intervenção, Capoulas Santos disse que o primeiro-ministro foi também um dos principais impulsionadores da mutualização da dívida na União Europeia, algo que era antes impensável.


No plano institucional, o deputado socialista destacou a eleição de Mário Centeno, em 2017, quando assumia a pasta das Finanças, para o cargo de presidente do Eurogrupo.


Na sequência desta intervenção, o deputado do Chega Pedro Frazão acusou a maioria socialista de esconder que os agricultores continuam a ser afetados pelas consequências da seca.


“A seca é o grande elefante branco neste debate”, comentou Pedro Frazão.


Por sua vez, o deputado da Iniciativa Liberal Bernardo Blanco criticou a política energética seguida pelo atual Governo, considerando que se refugia na Europa para não reduzir o peso do ISP (Imposto sobre Produtos Petrolíferos) em Portugal.


 


PMF // SF


 


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário