29 Novembro 2021, 20:06

Governo quer alojar até ao fim do ano mais de mil pessoas em situação sem-abrigo

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Coimbra, 23 mar 2021 (Lusa) – O Governo tem como objetivo ter até ao fim do ano 1.100 pessoas em situação de sem-abrigo alojadas a partir dos modelos de ‘Housing First’ e habitações partilhadas, disse hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.


Até ao momento, os acordos assinados para financiamento de soluções de alojamento para pessoas em situação de sem-abrigo já abrangem cerca de 300 pessoas, sendo que o objetivo é chegar às 1.100 pessoas apoiadas “até ao final do ano”, disse Ana Mendes Godinho, que falava aos jornalistas no final de uma sessão em que foram assinados protocolos com instituições de Coimbra e da Figueira da Foz.


“Queremos ter respostas integradas que respondam às várias dimensões da necessidade de intervenção: alojamento, acompanhamento psicológico, de qualificações e reconversão. Intervenções integradas que abranjam equipas que acompanham pessoas que vão para estas soluções de ‘Housing First’ [casa primeiro] ou apartamentos partilhados numa lógica de reintegração”, frisou.


Para Ana Mendes Godinho, “a questão crítica é garantir uma habitação e alojamento em primeiro lugar”, daí a criação destas duas respostas, ao abrigo da Estratégia Nacional para a Integração das Pessoas em Situação de Sem-Abrigo (ENIPSSA).


A governante realçou ainda que está a ser ultimada uma plataforma para se poder passar “a ter a capacidade de uma leitura a nível nacional de todas as pessoas que estão a ser acompanhadas e identificar as medidas necessárias para cada uma das pessoas, nesta preocupação de respostas personalizadas e individualizadas”.


Para além disso, a ministra destacou que está a ser ultimada a portaria que regulamenta a Bolsa Nacional de Alojamento de Emergência, que vai permitir ter “uma base central de gestão de vagas a nível nacional para situações de emergência, tendo aqui também a integração de imóveis públicos que podem ser utilizados para este fim de respostas sociais de urgência”.


Com a assinatura hoje de protocolos com instituições de Coimbra, Figueira da Foz e Aveiro, mais 48 pessoas passam a ser abrangidas para financiamento de ‘Housing First’ e apartamentos partilhados.


Na sessão, em Coimbra, participaram dirigentes das associações, o vice-presidente da Câmara de Coimbra, Carlos Cidade, e o presidente da Câmara da Figueira da Foz, Carlos Monteiro.


De acordo com o coordenador do ENIPSSA, Henrique Joaquim, estima-se que haja cerca de 7.100 pessoas em condição de sem-abrigo.



JGA (SV) // SSS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário