27 Setembro 2021, 14:52

Greve na Transtejo/Soflusa rondou 65%, segundo a empresa

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 16 jun 2021 (Lusa) — A Transtejo/Soflusa (TTSL) registou hoje uma adesão à greve, no período da manhã, de 65%, de acordo com informação da empresa, enquanto o sindicato revelou à Lusa que a adesão “foi a esperada”.


Os trabalhadores das duas empresas (com uma administração comum), que fazem as ligações fluviais entre a denominada Margem Sul (do Tejo) e Lisboa, fizeram uma primeira greve em 20 de maio de três e duas horas por turno, por a empresa manter a sua posição de “aumento de 0%” nas negociações salariais e hoje cumprem o primeiro de dois dias também de greve parcial.


De acordo com a empresa, verificou-se uma adesão de 60% na Transtejo e de 72% na Soflusa e foram cumpridas as carreiras de serviços mínimos decretadas pelo Tribunal Arbitral do CES para as ligações fluviais do Barreiro e de Cacilhas.


Segundo a Transtejo/Soflusa, a carreira Barreiro-Terreiro do Paço, das 05:05, registou 394 passageiros, representando um acréscimo de 61% face a terça-feira, enquanto a carreira Cacilhas-Cais do Sodré, das 05:20, registou 140 passageiros, mais 40% do que no dia anterior.


Segundo Paulo Lopes, sindicalista da FECTRANS – Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (afeta à CGTP), a greve, que tem dois períodos distintos, de manhã e final do dia, “está a decorrer normalmente dentro do que estava estipulado”.


“Saíram os barcos dos serviços mínimos estipulados e a adesão à greve foi a esperada”, disse, adiantando que “o primeiro turno cumpriu o seu objetivo”.


Ainda de acordo com a TTSL, a ligação fluvial Cacilhas–Cais do Sodré manteve-se ativa, com um navio em operação, entre as 06:45 e as 09:20, tendo sido transportados durante esse período 1.195 passageiros.


Já a ligação fluvial Barreiro–Terreiro do Paço foi retomada uma hora antes do horário previsto, às 10:25.


De acordo com a empresa, o serviço de transporte público fluvial encontra-se retomado em todas as ligações fluviais desde as 10:45.


Segundo a informação disponibilizada pela empresa, e por se tratar de uma greve parcial por turnos, estão previstas as ligações do Barreiro para o Terreiro do Paço entre as 11:25 (primeiro barco) e as 17:35 (último barco) e, no período noturno, a partir das 22:00.


No sentido contrário, prevê-se a ligação entre o Terreiro do Paço e o Barreiro entre as 11:55 e as 18:00 e depois a partir das 22:30.


Entre Cacilhas e o Cais do Sodré a transportadora prevê ligações no período entre as 09:20 e as 16:45 e depois a partir das 20:14, enquanto no sentido inverso estão previstos barcos entre as 09:32 e as 16:45 e a partir das 20:10.


Já entre o Montijo e o Cais do Sodré estão previstas as carreiras entre 09:30 e as 16:30 e, mais tarde, no período das 20:30 às 22:30, enquanto no sentido contrário, Cais do Sodré — Montijo, estão previstas carreiras entre as 10:00 e as 16:30 e à noite entre as 20:10 e as 23:15.


Nas ligações entre o Seixal e o Cais do Sodré, os horários disponíveis são igualmente em dois períodos: entre as 09:15 e as 16:45 e depois entre as 20:30 e as 22:30, e no sentido inverso entre as 09:40 e 16:45 e entre as 20:15 e as 23:15.


Para as ligações Trafaria-Porto Brandão–Belém estão previstos barcos entre as 09:40 e as 16:00 e entre as 20:30 e 21:30, e no sentido inverso entre as 10:00 e 16:30 e entre as 21:00 e as 22:00.


A adesão à greve de 20 de maio teve diferentes leituras da empresa e do sindicato.


A Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão, no distrito de Setúbal, e Lisboa, enquanto a Soflusa é responsável por ligar o Barreiro à capital.



RCP (SSM/SMM) // MCL


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário