04 Julho 2022, 00:09

Gripe mantém tendência crescente mas taxa de incidência baixou

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 08 abr 2022 (Lusa) – Os casos de gripe em Portugal estão com tendência crescente em todo o país, mas a taxa de incidência baixou, segundo o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).


O último boletim de vigilância da gripe, correspondente à semana que terminou no domingo, indica que a taxa de incidência de infeção respiratória aguda (IRA) também caiu, para 25,5 por 100.000 habitantes.


Até ao momento, segundo o INSA, foram detetados 81 casos de co-infeção pelo vírus da gripe e por SARS-CoV-2 e as 13 Unidades de Cuidados Intensivos que enviaram informação reportaram dois casos de gripe, ambos com o vírus influenza A. Os doentes tinham entre 35-44 anos e 55-64 anos e apenas um apresentava doença crónica e estava vacinado.


Foi ainda reportado um caso de gripe pelas três enfermarias que enviaram informação.


Apesar dos valores mais baixos nas taxas de incidência da síndrome gripal e da infeção respiratória aguda, o INSA sublinha que estes valores devem ser interpretados “tendo em conta a reorganização do atendimento ao doente respiratório e a menor população sob observação do que a observada em período homólogo de anos anteriores”.


O documento refere também que a Rede Portuguesa de Laboratórios para o Diagnóstico da Gripe (hospitais) tem observado um aumento do número de casos de gripe desde a semana 8/2022 (21 a 27 de fevereiro) e que, na semana 13 (28 de março a 03 de abril), foram identificados 1.055 casos positivos para o vírus da gripe, dos quais 1.045 do tipo A e 10 do tipo B. Em 164 dos casos foi identificado o subtipo A(H3) e em 13 o subtipo A(H1).


Na época 2021/2022, os laboratórios da Rede Portuguesa de Laboratórios para o Diagnóstico da Gripe (hospitais) notificaram 87.910 casos de infeção respiratória e foram identificados 3.725 casos de gripe.


Segundo o INSA, foram detetados até ao momento um total de 81 casos de co-infeção pelo vírus da gripe e por SARS-CoV-2, segundo o INSA, que assinala que até à semana que terminou no domingo foram caracterizados 112 vírus da gripe com características antigénicas que se distinguem do vírus contemplado na vacina contra a gripe da época 2021/2022.


A vacinação contra a gripe arrancou em Portugal no final de setembro, mais cedo do que o habitual devido à pandemia de covid-19, e já foram vacinadas mais de 2,5 milhões de pessoas.


O boletim do INSA refere ainda que a mortalidade por todas as causas está “dentro do esperado para esta época do ano”.


Sobre a situação europeia, indica que há uma tendência crescente na atividade gripal e que na semana 12 (21 a 27 de março) vários países da região europeia apresentaram uma taxa de deteção laboratorial do vírus da gripe acima de 50% – Sérvia (69%), Holanda (67%), Dinamarca (63%), Eslovénia (62%), França (58%), Bélgica (57%), Hungria (57%) e Luxemburgo (54%).



SO // SB


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário