04 Fevereiro 2023, 16:56

Grupo criminoso servo-croata que operava na Europa foi desmantelado

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Paris, 04 fev 2023 (Lusa) — Um grupo criminoso servo-croata suspeito de realizar centenas de roubos em toda a Europa, incluindo Portugal, foi desmantelado em novembro passado numa operação franco-espanhola, anunciaram hoje as autoridades francesas.


A equipa de investigação franco-espanhola fez 25 detenções de membros deste grupo, composto por cerca de 60 pessoas, considerado bem estruturado, funcionando como uma “operação de clã”, que incluía desde equipas de roubos a recetadores, passando por pessoas responsáveis pelo branqueamento do dinheiro recolhido.


O grupo criminoso organizava-se à volta de uma família que liderava equipas de assaltantes constituídas pelos seus membros e que tinha firmes instruções para apresentar resultados regularmente, de acordo com um comunicado da polícia francesa.


Entre julho de 2021 e outubro de 2022, o grupo percorreu a Europa, cometendo centenas de assaltos em Portugal, França, Espanha, Suíça, Itália, Holanda, Alemanha, Bélgica e Áustria, tendo provocado prejuízos de vários milhões de euros, segundo as autoridades.


No verão de 2021, as polícias de diversos países, de forma coordenada, começaram por monitorizar a atividade de duas dezenas de pessoas, através de intensivo trabalho de vigilância,


Em setembro de 2022, foi criada uma equipa de investigação franco-espanhola, sob a égide da Eurojust e com o apoio da Europol — duas agências europeias de prevenção e investigação criminal – para garantir uma melhor coordenação das operações em vários países.


Em 22 de novembro, 25 pessoas, com idades entre 20 e 40 anos, foram detidas em França, Espanha, Holanda, Croácia e Itália.


Entre estes membros do grupo que foram detidas, 17 aparecem no processo francês e oito no espanhol.


Durante as buscas foram apreendidos 550 mil euros em notas falsas, viaturas, armas, joias e artigos de luxo.


Dos 25 implicados, 23 foram indiciados por magistrados franceses ou espanhóis e dois encontram-se em prisão domiciliária em Itália e na Holanda, aguardando a entrega à justiça francesa, acrescentaram as autoridades em comunicado.



RJP // MAG


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário