30 Dezembro 2022, 22:51

Grupo de deputados alemães visita Taiwan

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Taipé, 02 out 2022 (Lusa) — Um grupo de deputados alemães chegou hoje à capital de Taiwan, Taipé, para uma visita de cinco dias, durante a qual se deve reunir com a líder do país, Tsai Ing-wen.


O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Taiwan sublinhou que esta é a primeira delegação oficial alemã a visitar a ilha desde o início da pandemia de covid-19.


O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Alexander Yui Tah-ray, deu as boas-vindas ao grupo de amizade Berlim-Taipé do Parlamento Federal Alemão (conhecido como Bundestag), à chegada ao Aeroporto Internacional de Taoyuan.


“Desejamos ao presidente do grupo de amizade do Bundestag Klaus-Peter Willsch e aos cinco vice-presidentes dos seus respetivos partidos políticos uma visita frutífera de cinco dias,” disse o ministério na rede social Twitter.


A delegação irá encontrar-se com Tsai Ing Wen, o vice-presidente, Lai Ching Te, o líder do parlamento You Si Kun, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Joseph Wu, deputados e outros responsáveis, para abordar questões da segurança nacional de Taiwan.


O grupo irá ainda visitar um parque científico para impulsionar o comércio bilateral na cadeia industrial de tecnologia e segurança.


Taiwan é o maior produtor do mundo de ‘chips’ semicondutores, essenciais no fabrico de alta tecnologia.


Esta é a segunda visita oficial de um país europeu desde o início de agosto, altura da visita da presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, a Taiwan.


Em 07 de setembro, um grupo de cinco deputados franceses, liderado pelo senador Cyril Pellevat, chegou à ilha.


No início de agosto, Pequim embarcou numa demonstração de força em retaliação à visita de Pelosi, após a qual mais seis delegações norte-americanas visitaram também Taiwan, no espaço de um mês.


A China enviou navios de guerra, mísseis e caças para a ilha durante uma semana. Foram os maiores e mais agressivos exercícios desde meados da década de 1990.


China e Taiwan vivem como dois territórios autónomos desde 1949, altura em que o antigo governo nacionalista chinês se refugiou na ilha, após a derrota na guerra civil frente aos comunistas. Pequim considera Taiwan parte do seu território e ameaça a unificação através da força, caso a ilha declare formalmente a independência.


Os Estados Unidos romperam relações diplomáticas com Taipé em 1979, passando a reconhecer Pequim como o único governo legítimo de toda a China. Washington continua, no entanto, a ser o principal fornecedor de armas e aliado da ilha.



VQ (JML/JPI) // VQ


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário