12 Agosto 2022, 13:27

Guiné-Bissau levanta interdição a Airbus retido no aeroporto em novembro

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Bissau, 19 mai 2022 (Lusa) — As autoridades da Guiné-Bissau levantaram a ordem que interditou o voo de um avião Airbus que foi retido no aeroporto de Bissau, por ordens do Governo, desde novembro, disse hoje à Lusa fonte da Aviação Civil guineense.


Segundo a fonte, no cumprimento de um despacho do ministro dos Transportes e Comunicações, a Autoridade de Aviação Civil da Guiné-Bissau (AACGB) emitiu uma circular a informar várias instituições sobre a suspensão da interdição de voo da aeronave.


A informação foi endereçada à agência que controla o espaço aéreo da Guiné-Bissau, a Asecna, Força Aérea, serviços de migração e fronteiras, Polícia Judiciária e Guarda Nacional Aeroportuária, lê-se numa nota assinada pelo presidente da AACGB, Caramo Camará.


O avião proveniente da Gâmbia foi tema de uma acesa polémica no país, envolvendo nomeadamente o primeiro-ministro, Nuno Nabiam, que mandou arrestar o aparelho, e o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, que sempre negou a existência de qualquer ilegalidade ligada ao aparelho.


A nota, a que a Lusa teve hoje acesso, está datada de 05 de abril e foi assinada pelo ministro dos Transportes e Comunicações, Aristides Ocante da Silva.


As instruções são no sentido de “autorizar o levantamento da interdição de descolagem da aeronave Airbus A340 em virtude do arquivamento do processo que pendia sobre o mesmo pelo Ministério Público”.


No passado mês de fevereiro, a Procuradoria-Geral da República emitiu uma nota dando conta de arquivamento do processo de investigação relativo ao avião Airbus A340 arrestado pelo Governo, por suspeita de transporte de carga ilegal.


 


MB // VM


Lusa/Fim


 

Sem comentários

deixar um comentário