08 Setembro 2022, 22:51

Incêndios: Agricultores enviam 10 toneladas de alimentos para animais em Gouveia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Os agricultores do Ribatejo e Alentejo enviaram hoje um camião TIR com 10 toneladas de alimentação animal, para Gouveia, região da Guarda afetada pelos incêndios, avançou hoje o secretário-geral da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP).

“Quero saudar a solidariedade dos agricultores do Ribatejo e Alentejo, regiões onde o alimento para animais é pouco”, disse à agência Lusa o secretário-geral da CAP, adiantando que a “solidariedade funcionou” e que hoje à tarde “vai chegar” um camião TIR com 40 fardos de 250 quilogramas, num total de 10 toneladas de alimento para animais.

E prosseguiu: “O Estado é rápido a anunciar. Promete, promete, mas é lento a agir. Nós não fazemos anúncios, mas agimos”.

No sábado, a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, anunciou em Torre de Moncorvo, o reforço de meio milhão de euros de apoio aos agricultores afetados pelos incêndios, para os ajudar na alimentação animal.

“Este despacho foi assinado (na sexta-feira) e atribui 500 mil euros aos agricultores afetados pelos incêndios para os ajudar na alimentação animal. Estamos também a distribuir açúcar pelos apicultores afetados, com a colaboração das direções regionais de agricultura”, esclareceu a governante na ExpoMocorvo, que se realizou em Torre de Moncorvo.

Luís Mira considerou ainda que é necessário “salvaguardar e valorizar a capacidade da iniciativa civil”, já que há “lentidão e toda uma burocracia” por parte do Estado.

Mais uma vez o “movimento associativo funciona com rapidez na ajuda”, voltou a advertir, sublinhando ainda que o “Estado é rápido a anunciar, mas a concretizar não”, além de falar da “ajuda inexistente” face à seca e à guerra na Ucrânia.

Na quarta ou na quinta-feira – dia 17 ou 18 de agosto – outro camião será enviado, garantiu à Lusa Luís Mira, realçando que este “não é um ano de abundância” para os agricultores.

O responsável da CAP enalteceu também a onda de solidariedade resultante dos donativos dos agricultores e da ajuda dos transportadores e questionou quanto tempo levará a ajuda Estatal a chegar aos que dela necessitam.

Sem comentários

deixar um comentário