03 Dezembro 2021, 14:12

Indústria europeia será mais competitiva se investir agora na transição digital

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 25 fev 2021 (Lusa) — A vice-presidente executiva da Comissão Europeia Margrethe Vestager defendeu hoje que a indústria europeia será “ainda mais competitiva num futuro digital” se começar a investir “agora” nas pessoas, na tecnologia e em quadros regulatórios corretos.


Margrethe Vestager, responsável por Uma Europa Preparada para a Era Digital no executivo comunitário, reiterou a vontade expressa pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, no primeiro dia da quarta edição dos Dias da Indústria, de garantir que “a indústria europeia irá liderar a transição verde e digital”.


“Agora que a mudança está a decorrer a um passo mais acelerado, temos de garantir que a indústria europeia está realmente equipada para liderar esta mudança”, defendeu Vestager, que discursava no encerramento do terceiro dia do principal evento na UE sobre a indústria, que este ano decorreu em formato virtual.


Para a responsável, há um “consenso claro” no seio da Comissão Europeia em relação a esta matéria: “Queremos um futuro digital que seja justo, responsável e, claro, que esteja sob o nosso controlo”, frisou.


Para tal, é necessário que a União Europeia comece “agora” a investir nas pessoas, na tecnologia em si e em quadros regulatórios corretos, defendeu, acrescentando que este objetivo só será alcançado com o esforço de todos os Estados-membros.


O investimento nas pessoas “ultrapassa a questão económica”, defendeu a vice-presidente executiva, dado que é necessário garantir “um certo nível de competência digital” aos cidadãos europeus. Caso contrário, poderão surgir “novos desafios para a coesão social”, alertou.


Para Margrethe Vestager, “a digitalização pode tornar-se uma plataforma poderosa para a convergência social” através do equipamento de “regiões e comunidades mais desfavorecidas”.


Em relação ao investimento na tecnologia em si, a responsável defendeu a necessidade de investimentos públicos “quando a tecnologia depende da infraestrutura pública”, dando como exemplo os carros elétricos, que “só farão sentido se tiverem acesso a uma rede de estações de carregamento nas estradas europeias”, assinalou.


O terceiro investimento, de um quadro regulatório correto, é “o mais importante” para a Margrethe Vestager, pois permite que “a economia opere de forma justa”, dando como exemplo as regras de competitividade da UE ao abrigo do mercado comum.


Sobre este assunto, a responsável lembrou a proposta da Comissão Europeia para uma mudança regulatória através das leis do Mercado Digital e dos Serviços Digitais, que estabelecem regras de conduta para grandes plataformas de ‘gatekeepers’ no sentido de “criar um espaço digital mais seguro, no qual os direitos fundamentais dos utilizadores estão protegidos”.


“Se fizermos estes três investimentos agora, estou convencida de que a indústria europeia será ainda mais competitiva num futuro mais digital”, assegurou a vice-presidente executiva da Comissão Europeia, acrescentando que este é um duplo objetivo, dado que a transição digital promove a transição verde e, por isso, permite também que o bloco comunitário cumpra os seus objetivos ambientais.


Margrethe Vestager discursava no final do terceiro dia da quarta edição dos Dias da Indústria da UE, o principal evento sobre indústria organizado anualmente pela Comissão Europeia. Este ano o evento decorreu virtualmente e contou com um programa repleto de ‘workshops’, palestras, apresentações de negócios, podcasts, entre outros, a partir de vários países da UE.


BYC // MDR


Lusa/fim

Sem comentários

deixar um comentário