14 Novembro 2022, 03:36

Investimento de 141 mil euros renova sinalética em 85 km de ecovias do Alto Minho

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Ponte de Lima, Viana do Castelo, 17 nov 2021 (Lusa) — A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho investiu 141.337 euros em nova sinalética informativa e interpretativa nos mais de 85 quilómetros das redes de ecovias da região, para valorização dos rios Lima e Vez, foi hoje divulgado.


Em comunicado, a CIM do Alto Minho, com sede em Ponte de Lima, adiantou que aquele investimento, iniciado em 2017 e concluído em abril, foi realizado ao abrigo do projeto de cooperação transfronteiriça CTC II — Comunidade Territorial de Cooperação Lima-Límia-Cávado.


A CIM do Alto Minho, que agrega os concelhos de Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira, Paredes de Coura, Valença, Monção, Melgaço, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca e Ponte de Lima, justifica a divulgação, este mês, da iniciativa por se tratar de uma época de “baixa sazonalidade turística”, enquanto em abril o país encontra-se em desconfinamento devido à pandemia de covid-19.


As ecovias dos rios Lima e Vez possuem nova sinalética nos seus percursos, com informação relevante sobre o território para utilizadores e turistas.


“A colocação de sinalização informativa permite que o utilizador conheça a sua localização exata, além de possibilitar a compreensão da rede de percursos pedonais e clicáveis no seu todo (por eixo) e identificar elementos de interesse nos diversos trajetos no contexto transfronteiriço e da sua ligação com a reserva Mundial da Biosfera Gerês-Xurés”, sustenta a CIM do Alto Minho.


A “rede de percursos pedonais e clicáveis associada aos eixos de valorização dos rios Lima e Vez desenvolve-se, com diferentes proporções, nos concelhos de Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Ponte de Lima e Viana do Castelo, num total de 85,66 quilómetros de extensão”.


Na margem esquerda do rio Lima, “entre Deão, no concelho de Viana do Castelo, e Oleiros, no concelho de Barcelos, distrito de Braga, apresenta 30,34 quilómetros de extensão”.


Já “na margem direita do rio Lima e do rio Vez, entre as freguesias de Fontão e Sistelo, incluindo o segmento de Ermelo, tem 55,32 quilómetros de extensão”.


A rede “está também interligada com os restantes eixos de valorização do litoral e do rio Minho, no sentido de promover os percursos cicláveis do Alto Minho de forma conjunta”.


O projeto CTC Limia-Lima-Cávado, cofinanciado pelo EP – INTERREG V A Espanha-Portugal (POCTEP), foi desenvolvido pelas CIM do Alto Minho e do Cávado [engloba os concelhos de Amares, Braga, Barcelos, Esposende, Terras de Bouro e Vila Verde].


A projeto contou com o apoio do INORDE – Instituto Orensano de Desarrollo Económico, “com o propósito de promover o desenvolvimento integrado deste espaço transfronteiriço, com características geográficas e problemas comuns, mas também com fortes potencialidades e oportunidades ao nível do turismo de natureza e dos desportos náuticos”.


O projeto incluiu também “o trabalho de levantamento das ecovias e de toda a informação relevante sobre turismo de natureza, a qual foi agregada e disponibilizada através da produção e publicação de um guia digital que integra a oferta ecoturística deste território”.


O projeto CTC_LIMA_LIMIA_CÁVADO foi iniciado em 2015, num investimento global 532.467,80 euros, financiado em 75% pelo INTERREG V A, sendo que o beneficiário principal foi a CIM do Cávado e parceiros a CIM do Alto Minho e a Província de Ourense, na Galiza.


 


ABC // JAP


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário