22 Janeiro 2023, 11:46

IP vai fazer estudo para variante de Fafe à zona industrial de Regadas

Estrada
LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

A Infraestruturas de Portugal (IP) vai executar um estudo prévio para uma nova ligação rodoviária entre a cidade de Fafe e a futura zona industrial de Regadas.

Segundo o presidente da Câmara de Fafe, Antero Barbosa, o trabalho técnico vai ser feito em parceria com a autarquia.

É propósito do Município aproximar a cidade, nomeadamente o seu nó de acesso à autoestrada A7, à zona de acolhimento empresarial que vai ser executada na freguesia de Regadas, no limite de Fafe (cerca de 7,5 quilómetros) com o Município vizinho de Felgueiras, onde já existe a zona industrial de Cabeça de Porca.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Segundo Antero Barbosa, a estrada regional 207, que liga Fafe a Regadas, há muito não corresponde às necessidades e ficará ainda mais desajustada quando a zona empresarial for uma realidade.

A nova ligação, insistiu o presidente, reforçará a atratividade da futura zona de acolhimento empresarial, uma moderna infraestrutura que terá cerca de 40 hectares e cujos terrenos vão ser adquiridos nos próximos meses pela câmara, no âmbito de um processo de expropriação.

Avançar-se-á, em paralelo, para o projeto da obra, prevendo-se que as primeiras empresas possam começar a instalar-se dentro de dois anos.

Antero Barbosa espera que o projeto a realizar pela IP defina já o corredor da variante e o seu custo estimado.

Questionado sobre o financiamento, disse esperar ser possível encontrar, durante o atual mandato, linhas de apoio que garantam a execução da obra, no âmbito do PRR ou de outros instrumentos financeiros.

Por outro lado, o edil avançou Câmara vai ampliar a zona industrial do Socorro, na sede do concelho, uma vez que a atual está a esgotar a sua capacidade.

Também a zona industrial de Arões, noutra zona do município, ganhou nos últimos anos uma nova dinâmica, com mais licenciamentos de empresas, depois de ter sido construído o nó de acesso à variante que liga Fafe a Guimarães.

Sem comentários

deixar um comentário