24 Outubro 2021, 17:57

Itália pede maior responsabilidade da UE perante as crises internacionais

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Roma, 04 set 2021 (Lusa) – O presidente italiano, Sergio Mattarella, e o ministro da Defesa, Lorenzo Guerini, apelaram hoje à União Europeia para assumir uma maior responsabilidade perante as crises internacionais e que deixe de agir timidamente.


Nenhum deles mencionou especificamente o Afeganistão, mas as suas palavras surgem alguns dias depois de o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, ter criticado a posição da União Europeia (UE) na gestão da crise afegã, realçando que mostra “pobreza” no momento de enfrentar o fenómeno da imigração.


Num discurso no Fórum de Diálogo Ambrosetti, que decorre até domingo na cidade italiana de Cernobbio (norte), Mattarella afirmou que a UE deve contribuir para promover “a paz, o desenvolvimento, a segurança e a estabilidade internacional”, lembrando ainda que precisa de uma “política externa e de segurança comum”.


E prosseguiu: “Trata-se de uma questão sobre a qual a UE se moveu, até agora, com demasiada timidez e que, pelo contrário, representa a continuação natural dessa soberania partilhada destinada também a garantir, aos cidadãos europeus, a continuação de uma experiência de crescimento e progresso”.


Assim sendo, a Europa “não pode estar ausente de cenários e acontecimentos cujas consequências são revertidas para os países que a compõem”, acrescentou.


Por seu lado, o ministro da Defesa italiano afirmou numa reunião em Washington com o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, que “é necessária uma maior assunção de responsabilidades por parte da UE, não em oposição, mas em plena sinergia com a NATO”, segundo um comunicado hoje divulgado.


“A promoção do desenvolvimento das capacidades militares europeias deve ser interpretada como uma ação natural e coerente para fortalecer o pilar europeu da Aliança Atlântica”, disse.



JS // VM


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário