12 Agosto 2022, 09:33

Janet Yellen vai ser a primeira mulher no cargo de Secretária do Tesouro dos EUA

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Washington, 23 nov 2020 (Lusa) — A antiga dirigente da Reserva Federal (Fed) Janet Yellen foi a escolhida pelo Presidente eleito dos Estados Unidos da América (EUA), o democrata Joe Biden, para Secretária do Tesouro, e vai ser a primeira mulher a desempenhar este cargo.


A notícia é avançada pela Associated Press (AP), que confirmou a informação junto de uma fonte, que pediu o anonimato, familiarizada com o processo de escolha dos elementos da equipa de Biden para os próximos quatro anos.


Yellen, que é uma figura admirada no mundo financeiro, vai ser a primeira mulher a liderar o Departamento do Tesouro.


Enquanto Secretária do Tesouro, Yellen vai iniciar o primeiro de quatro anos de mandato da administração Biden com a economia norte-americana fragilizada, por causa da pandemia.


O desemprego que subiu em ‘flecha’, a reposição de medidas de confinamento obrigatório em várias cidades dos EUA para mitigar a propagação do SARS-CoV-2 e a incerteza que está a dominar os mercados são obstáculos com os quais Yellen se vai deparar a partir do final de janeiro.


Janet Yellen, de 74 anos e que foi também a primeira mulher a chefiar a Fed (2014-2018), era uma das conselheiras presidenciais da candidatura de Biden.


Entre as funções da futura Secretária do Tesouro vai estar a negociação da política económica dos Estados Unidos com o senador Mitch McConnel, republicano eleito pelo Kentucky, e que vai continuar a ser o líder da maioria republicana no Senado.


Também hoje, Biden terá escolhido Antony Blinken para liderar a diplomacia norte-americana e John Kerry, senador eleito pelo estado do Massachusetts e antigo candidato presidencial, para chefiar o combate às alterações climáticas.


Alejandro Mayorkas vai ser o próximo Secretário da Segurança Interna – já desempenhou a função de subsecretário nesta pasta entre 2013 e 2016, no Governo de Barack Obama.


Joe Biden está, por isso, a dar passos largos na constituição da próxima administração, ainda que o atual Presidente norte-americano, o republicano Donald Trump, continue sem admitir a derrota nas presidenciais de 03 de novembro e tente a todo o custo impugnar os resultados e reverter os estados mais proeminentes.


O Presidente eleito vai constituindo a equipa sem conseguir, no entanto, aceder aos fundos federais para começar a colocar a estratégia que delineou, como a ‘taskforce’ para combater a covid-19, uma vez que Trump e a atual administração estão a bloquear o processo de transição do poder.



AFE //RBF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário