04 Dezembro 2021, 22:49

Jorge Simão quer o melhor Paços de Ferreira para vencer o Arouca

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Paços de Ferreira, Porto, 23 out 2021 (Lusa) — O treinador do Paços de Ferreira, Jorge Simão, disse hoje que é necessário “estar no máximo das capacidades” para vencer o “competitivo” Arouca, em jogo da nona jornada da I Liga de futebol, no domingo.


“Amanhã [domingo] teremos um adversário competitivo, que nos vai obrigar a estar no máximo das nossas capacidades. Mas estamos prontos para ir a jogo e lutar pelos três pontos”, disse Jorge Simão, em conferência de imprensa.


O técnico pacense reconheceu os benefícios da pausa no campeonato, pela possibilidade de “recuperar alguns jogadores com toques e mazelas”, e reiterou a confiança num jogo consistente da equipa.


“Já conseguimos demonstrar em vários jogos uma qualidade e exibição que nos permite ficar orgulhosos do que produzimos em campo”, referiu o técnico, sem deixar de reconhecer alguma dificuldade da sua equipa em manter as vantagens no resultado nos jogos caseiros.


Jorge Simão lembrou as vantagens no marcador diante de Estoril Praia, Boavista e Belenenses SAD, admitindo que “não chega só a qualidade do jogo”.


“Nestes três jogos, estivemos na frente e o Paços até foi a equipa mais consistente. Jogámos com a nossa qualidade e capacidade de ligar entre os setores, mas muitas vezes é importante perceber o que o jogo está a pedir e, se necessário, controlar a vantagem. Faltou essa parte. A nossa ideia será sempre a de dominarmos nos 90 minutos, mas do outro lado também está sempre um adversário”, concluiu.


Rui Pires, com um problema físico, vai falhar o jogo, juntando-se na lista de indisponíveis aos lesionados de longa duração Jordi e João Vigário.


Na tabela, o Paços de Ferreira ocupa o 11.º lugar, com nove pontos, enquanto o Arouca é 16.º, com cinco.


As duas equipas vão defrontar-se no estádio Capital do Móvel, em Paços de Ferreira, no domingo, às 15:30, num jogo que terá arbitragem de António Nobre, da associação de Leiria.


 


CYA // RPC


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário