08 Outubro 2022, 18:00

Justificação de Moscovo para corte de gás à Europa é “obviamente falsa”

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Washington, 06 set 2022 (Lusa) — Os Estados Unidos acusaram hoje a Rússia de “decidir fechar” o gasoduto Nord Stream que abastece a Europa e consideraram “obviamente falsa” a justificação de Moscovo, que associa a suspensão às sanções ocidentais pela invasão russa da Ucrânia.


“Os EUA e a Europa estão a trabalhar em conjunto para garantir que haja reservas suficientes”, assegurou um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, prometendo que “as reservas de gás da Europa estarão cheias pela primeira vez”.


A mesma fonte referiu que “ainda há muito trabalho a fazer” para encontrar formas de “aumentar as reservas de gás da Europa ou ajudar a impulsionar outras fontes de energia sempre que possível”.


A Rússia já exigiu em março que, a partir de 01 de abril, os países europeus pagassem em rublos pelo gás russo, em resposta à desconexão de vários bancos russos do sistema interbancário internacional ‘Swift’, mas vários recusaram fazê-lo, incluindo a Bulgária e a Polónia, pelo que a Gazprom lhes cortou o fornecimento.


Nos últimos meses, a gigante russa de gás suspendeu total ou parcialmente o fornecimento a 12 Estados-membros e interrompeu o trânsito de gás através do gasoduto ‘Nord Stream’ em várias ocasiões durante o verão, devido a alegadas obras de manutenção.


Na sexta-feira passada, acabou por interromper o fornecimento por tempo indeterminado, alegadamente devido a uma suspeita de fuga de óleo na única estação de compressão que ainda estava em operação, algo que a União Europeia classificou de “falácia”


A Rússia defendeu-se no domingo das críticas da União Europeia por cortar o fornecimento através do gasoduto Nord Stream afirmando ser o resultado das sanções e ações ocidentais e alertou que os preços do gás podem subir ainda mais.


No contexto de guerra na Ucrânia, a energia tem estado no centro de um braço-de-ferro entre Moscovo e os países ocidentais, que acusam a Rússia de utilizar o gás “como uma arma”.



DMC (PD) // JPS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário