07 Setembro 2022, 14:59

Legislativas: João Oliveira diz que Costa está “a fugir” ao apelo a convergência

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

São Bartolomeu de Messines, Silves, Faro, 21 jan 2022 (Lusa) — O dirigente comunista João Oliveira defendeu hoje que o secretário-geral do PS, António Costa, está “a fugir” ao “apelo direto” feito pelos comunistas sobre a convergência entre os dois partidos depois das eleições legislativas.


“É verdade que António Costa e o PS continuam a fugir a esse apelo direto que foi feito da nossa parte, de dizerem claramente se recusam ou não a convergência com a CDU”, disse João Oliveira, no final de uma ação de campanha eleitoral em frente a um centro de saúde, em São Bartolomeu de Messines, concelho de Silves (CDU), no distrito de Faro.


Essa convergência, alertou o dirigente comunista, é não só para impossibilitar a constituição de um Governo de direita, mas também para encontrar as respostas de que o país necessita.


“Essa fuga à resposta e essa fuga ao desafio do PS encaixa na estratégia de tentar obter uma maioria absoluta”, completou.


O também líder parlamentar do PCP desde 2013 considerou ainda que o PS “definiu como objetivo retirar deputados à CDU”.


Os socialistas apenas conseguem alcançar a maioria absoluta ‘roubando’ deputados a outras forças políticas, sustentou, daí haver uma intenção declarada de o PS em conseguir eleger no dia 30 os três deputados pelo distrito de Évora, onde João Oliveira é novamente o cabeça de lista.


No entanto, o membro da Comissão Política do Comité Central do PCP não está preocupado com a possibilidade de falhar a eleição pela primeira vez desde 2005. João Oliveira reiterou que essa decisão cabe aos portugueses quando forem às urnas, mas disse estar confiante no trabalho que está a ser desenvolvido pela CDU naquele círculo eleitoral, mesmo sem a principal figura da coligação naquele distrito.


João Oliveira está a substituir o secretário-geral do PCP até ao início da próxima semana, enquanto Jerónimo de Sousa está a recuperar de uma cirurgia de urgência à carótida interna esquerda a que foi submetido em 13 de janeiro.


A campanha eleitoral da CDU começou por ser dividida com João Ferreira e o partido previa que o antigo eurodeputado comunista assumisse por inteiro a agenda do secretário-geral, enquanto João Oliveira prosseguiria com a campanha pelo distrito de Évora, por onde volta a ser o cabeça de lista.


No entanto, João Ferreira contraiu a covid-19 no início da semana e teve de abandonar a ‘volta’ da CDU.


Nas legislativas de 2019, a Coligação Democrática Unitária (CDU) – que integra o PCP, o PEV e a Associação Intervenção Democrática – elegeu 12 deputados (dez do PCP e dois do PEV) e obteve 6,33% dos votos, ou seja, 332.473 votos (de um total de 5.251.064 votantes), menos 113.507 do que em 2015, de acordo com o Ministério da Administração Interna (MAI).



AFE // ACL


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário