27 Janeiro 2022, 22:57

Legislativas: PSD considera que diálogo do PS com Bruxelas sobre a TAP tem sido ineficaz

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 07 jan 2022 (Lusa) — O programa eleitoral do PSD considera que o diálogo com Bruxelas sobre a TAP tem sido “ineficaz” e que a decisão “tardia” sobre o plano de reestruturação retirou competitividade à companhia área.


A TAP surge no programa eleitoral do PSD, hoje apresentado, num capítulo intitulado “Infraestruturas: conservar, qualificar, inovar”, com o partido liderado por Rui Rio a acusar o governo do PS de ter “conduzido muito mal” processo da transportadora, ao ter avançado para uma “intervenção maximalista de apoios públicos, por fixação ideológica, sem a devida análise de alternativas ou mecanismos mais equilibrados e graduais”.


“O modelo de intervenção exclusivamente público é errado”, lê-se no documento, com o PSD a considerar que o diálogo com a Comissão Europeia “tem sido manifestamente ineficaz” e que a decisão muito tardia sobre o plano de reestruturação “retirou competitividade à TAP”.


Neste contexto, refere que a generalidade dos países teve os seus apoios e planos de reestruturação “aprovados na primeira fase da pandemia, o que lhes permitiu atuar rapidamente”.


Para o PSD, o foco na TAP esteve nos ‘inputs’ quando deveria estar nos ‘outputs’, ou seja, nos serviços e nos resultados, de forma a assegurar que a “TAP reestruturada não é um encargo que pese ao contribuinte ou que comprometa outros investimentos estruturais”.


“Na atual situação, passados quase dois anos de pandemia, e considerando os erros colossais levados a cabo pelo Governo, o PSD defende uma solução de viabilização da empresa, mas em termos sustentáveis, europeus, de acordo com as boas práticas de gestão”, lê-se no documento.


O PSD defende, assim, um programa de reestruturação empresarial semelhante ao adotado na Caixa Geral de Depósitos, apontando um “plano estratégico robusto, não fantasioso” e a executar “por uma equipa de gestão profissional “com a perspetiva de vir a devolver valor ao acionista/contribuinte, num calendário razoável”.



LT // EA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário