13 Agosto 2022, 04:24

Liberais alertam contra extremismos e recusam trocar princípios por lógicas eleitorais

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 12 dez 2020 (Lusa) — O líder da Iniciativa Liberal (IL) alertou hoje contra o aparecimento dos extremismos em Portugal, o que “não é mau, é péssimo”, e avisou que o partido não troca o princípio contra discriminações por lógicas eleitorais.


No encerramento, via videoconferência, da V convenção dos liberais, que decorreu em modo digital, João Cotrim Figueiredo recusou “ceder” a fenómenos associados a esse extremismo surgido nos últimos tempos na vida política e que “contribuem para uma estratégia do PS que visa eternizar-se no poder como se não houvesse alternativa”


E, sem nunca mencionar diretamente o Chega, o partido populista e de extrema-direita que elegeu um deputado, Cotrim Figueiredo afirmou ainda que a IL “não ajudará que eleitores sejam olhados como deploráveis”, numa referência à forma como eram tratados, nos Estados Unidos, os eleitores de Donald Trump pela candidata derrotada nas presidenciais de 2016, a democrata Hillary Clinton.


No seu discurso, de menos de 20 minutos, o líder e deputado da IL reafirmou a “posição de princípio” de “total repúdio de todas as formas de discriminação que ferem a essência da crença liberal na individualidade e dignidade de cada ser humano”, baseadas “na raça, no sexo, na etnia ou na religião”.


“Esta posição de princípio não é negociável em qualquer contexto pré ou pós-eleitoral”, afirmou.


Os últimos anos e eleições, disse, resultaram em “mudanças no xadrez político”, em que o “voto útil é mais inútil, o que é bom e clarifica a escolha das pessoas”, mas também “deu lugar a extremismos, o que não é mau, é péssimo”.


A Iniciativa Liberal elegeu pela primeira vez um deputado à Assembleia da República nas legislativas de 2019.


 


NS // ANP


Lusa/fim


 

Sem comentários

deixar um comentário