21 Outubro 2021, 06:21

Mais de 90% dos alojamentos de Leiria com rede de saneamento disponível mas só 77% ligados

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Leiria, 26 jan 2021 (Lusa) — Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Leiria revelaram hoje que 91% dos alojamentos do concelho têm rede de saneamento disponível, mas só 77% têm serviço contratualizado, uma taxa “aquém do esperado”.


Numa resposta escrita enviada à agência Lusa, os SMAS explicam que “existe infraestrutura instalada para recolher as águas residuais de 61.076 alojamentos do concelho de Leiria (91% do total), mas que, destes, apenas 46.910 (77%) tem o serviço contratado”.


Para a empresa, “de facto, é um número aquém do esperado, pois nos últimos 10 anos 75% do investimento realizado pelos SMAS de Leiria foi em saneamento”.


“Dos 36 milhões de euros investidos, cerca de 27 milhões foram para realizar obras de saneamento, para se atingir a cobertura de 91% dos alojamentos servidos”, adiantam.


A empresa esclarece ainda que esta situação tem consequências, “uma ambiental, porque a não ligação à rede pública disponível contribui para a degradação das massas de água da bacia do rio Lis”, e outra financeira.


“A não ligação à rede pública por parte dos utilizadores não permite a redução dos custos de exploração da rede existente”, destacam os SMAS, observando que “quanto mais utilizadores ligados, menores os custos” e “só assim será possível reduzir as tarifas aos utilizadores finais por parte dos SMAS de Leiria”.


A empresa lembra, por outro lado, que “sempre que a rede se encontre disponível é obrigatório a ligação à rede pública e o abandono das soluções privativas existentes”.


Os SMAS acrescentam que vão “apostar nas ações de sensibilização no terreno, junto da população”.


“Mas para aumentar a taxa de adesão ao serviço de saneamento, entendemos que também é importante intensificar a fiscalização, uma vez que de acordo com o Decreto-Lei 194/2009, de 20 de agosto [que estabelece o regime jurídico dos serviços municipais de abastecimento público de água, de saneamento de águas residuais e de gestão de resíduos urbanos], a ligação à rede de saneamento é obrigatória”, reitera a empresa.


Os SMAS acrescentam que a ligação é gratuita “nas situações em que os ramais estão até 20 metros da rede pública”.



SR // SSS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário