04 Dezembro 2021, 22:27

Mais lava em movimento após novo desabamento no cone do vulcão de La Palma

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Um novo desabamento do cone do vulcão de La Palma (Canárias) está a fazer com que uma grande quantidade de lava se desloque, principalmente em direção ao oeste, sobre o fluxo primário de lava.

Durante as últimas 24 horas, a evolução da erupção foi marcada pela modificação e reconfiguração do cone principal do vulcão, de acordo com o último relatório do Departamento de Segurança Nacional espanhola (DSN) emitido às 8h00 locais (a mesma hora em Lisboa).

A nova rutura do cone, que ocorreu na tarde de ontem, provocou transbordamentos de lava e deslizamentos de terras que geraram correntes de ar, mas que não afetaram o fluxo que corre para sul e que está atualmente praticamente parado.

Por seu lado, o Governo da comunidade autónoma das Canárias sublinhou que o fluxo de lava de La Laguna não sofreu alterações significativas e, tal como o resto dos fluxos de lava, continua a ser monitorizado, para o caso de ser necessário adotar novas medidas de proteção civil.

A altura média da coluna de cinzas e gases emitidos pelo vulcão atingiu 3.800 metros na segunda-feira, de acordo com o DSN.

A instituição também observa que as condições meteorológicas são favoráveis à qualidade do ar e que as operações aeroportuárias nas Ilhas Canárias são atualmente satisfatórias.

No que diz respeito à sismicidade, os últimos dados do Instituto Geográfico Nacional espanhol mostram que, durante as primeiras horas da manhã de hoje, 36 tremores de terra foram registados em La Palma, um dos quais, afetou o município de Mazo com uma magnitude de 4,2 graus e uma intensidade de quatro, localizado a uma profundidade de 36 quilómetros.

Por seu lado, o DSN assinala que os movimentos de terra continuam a localizar-se nas mesmas zonas geográficas e que, por sua vez, aumentaram em profundidades intermédias, entre 10 e 15 quilómetros, o que favoreceu a probabilidade de terramotos até à intensidade seis sentida pela população.

Sem comentários

deixar um comentário