08 Dezembro 2021, 15:39

Migrações: Navio Ocean Viking autorizado a desembarcar 116 migrantes na Sicília

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Roma, 23 mar 2021 (Lusa) – O navio Ocean Viking, da organização SOS Méditerranée, com 116 migrantes a bordo e cinco casos detetados do novo coronavírus, foi autorizado a atracar no porto de Augusta, na Sicília, confirmou a organização nas redes sociais.


A organização não-governamental (ONG) havia solicitado na segunda-feira a atribuição urgente de um porto para atracar depois de cinco migrantes receberem o resultado positivo para covid-19. As cinco pessoas foram colocadas em isolamento.


O navio resgatou 106 migrantes no último sábado, incluindo várias mulheres e crianças, na sua segunda operação em poucos dias, depois de salvar outras 10 pessoas na quinta-feira, incluindo duas mulheres, um bebé e três crianças.


No segundo resgate, os migrantes estavam num barco insuflável em águas internacionais a 34 milhas da costa da Líbia, em “estado emocional grave”.


A primeira operação de salvamento, a cerca de 36 milhas da costa da Líbia, ocorreu depois de um barco da guarda costeira da Líbia solicitar a intervenção do Ocean Viking, pois a condição dos migrantes era grave e a guarda costeira não tinha médicos a bordo.


O navio da ONG espanhola Open Arms também está a chegar à zona, enquanto o navio Sea Watch 3, da homónima organização alemã foi imobilizado na Sicília pelas autoridades italianas por alegadas irregularidades.


A Itália é uma porta de entrada privilegiada para os migrantes na Europa, mas a rota marítima entre o Norte da África e a Sicília é uma das mais mortíferas do mundo.


Quase 530.000 migrantes desembarcaram nas costas da Itália desde o início de 2015, incluindo cerca de 6.000 desde o início do ano, de acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM).


Desde janeiro, 232 migrantes morreram ou desapareceram durante a sua viagem marítima para a Itália ou Malta, contra 983 durante o ano de 2020, acrescentou a agência da ONU.



CSR // FPA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário