02 Julho 2022, 13:09

Milhares em Fátima assistiram à consagração da Rússia e Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Fátima, Santarém, 25 mar 2022 (Lusa) — O cardeal Konrad Krajewski, como Legado Pontifício, presidiu esta tarde, em Fátima, ao ato de consagração da Ucrânia e da Rússia ao Imaculado Coração de Maria, em simultâneo com o mesmo gesto feito pelo Papa Francisco no Vaticano.


Eram 17:26 quando o cardeal polaco começou a ler em italiano a oração de consagração escrita pelo Papa Francisco, a qual denuncia que os homens esqueceram “a lição das tragédias do século passado, o sacrifício de milhões de mortos nas guerras mundiais”.


“Descuidamos os compromissos assumidos como Comunidade das Nações e estamos a atraiçoar os sonhos de paz dos povos e as esperanças dos jovens. Adoecemos de ganância, fechamo-nos em interesses nacionalistas, deixamo-nos ressequir pela indiferença e paralisar pelo egoísmo”, adianta o texto.


Na oração da consagração da Rússia e Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria é referido que a humanidade preferiu “ignorar Deus” e conviver com as suas “falsidades, alimentar a agressividade, suprimir vidas e acumular armas”.


“Perdemos a humanidade, malbaratamos a paz. Tornamo-nos capazes de toda a violência e destruição. Temos necessidade urgente da vossa intervenção materna”, lê-se no texto.


“Apagai o ódio, acalmai a vingança, ensinai-nos o perdão; libertai-nos da guerra, preservai o mundo da ameaça nuclear; (…) mostrai aos povos o caminho da fraternidade”, foram alguns dos apelos deixados naquela oração, na qual é ainda pedido à Virgem: “enquanto o rumor das armas não se cala”, que a vossa oração nos predisponha para a paz; As vossas mãos maternas acariciem quantos sofrem e fogem sob o peso das bombas”.


O texto do pontífice apela, ainda, à compaixão dos homens, que “estimule a abrir as portas e cuidar da humanidade ferida e descartada”.


“O povo ucraniano e o povo russo, que Vos veneram com amor, recorrem a Vós, enquanto o vosso Coração palpita por eles e por todos os povos ceifados pela guerra, a fome, a injustiça e a miséria. Por isso nós, ó Mãe de Deus e nossa, solenemente confiamos e consagramos ao vosso Imaculado Coração nós mesmos, a Igreja e a humanidade inteira, de modo especial a Rússia e a Ucrânia. Acolhei este nosso ato que realizamos com confiança e amor, fazei que cesse a guerra, providenciai ao mundo a paz”, acrescentou a oração, acompanhada com atenção pelos milhares de peregrinos presentes no Santuário de Fátima.


Esta consagração foi feita mais de um mês após a ofensiva militar que a Rússia lançou na Ucrânia e que causou já, entre a população civil, mais de um milhar de mortos e mais de 1.700 feridos, e provocou a fuga de mais 10 milhões de pessoas, das quais 3,7 milhões foram para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.


A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.


 


JLG // JEF 


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário