05 Fevereiro 2023, 10:02

Ministro da Cultura destaca dimensão intergeracional do cante alentejano

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, destacou hoje em Odemira, no distrito de Beja, a importância da dimensão intergeracional do cante alentejano, considerando que esta arte polifónica está viva e “recomenda-se”.

O cante tem sido “um elemento central da cultura” alentejana e, aos longos dos anos tem sido responsável pela promoção do “vínculo social”, afirmou o governante.

Pedro Adão e Silva falava aos jornalistas à margem da inauguração de um monumento ao cante alentejano, em Odemira, para assinalar os oito anos da classificação como Património Imaterial da Humanidade deste canto polifónico típico da região.

“É um reconhecimento merecido, é um reconhecimento que tem sido apoiado e que tem também correspondido a uma renovação do cante alentejano. Acho que essas duas dimensões, a do reconhecimento da memória e a renovação, são cruciais para manter o cante vivo”, realçou.

Sem comentários

deixar um comentário