19 Setembro 2021, 03:59

Mirpuri Foundation Racing Team vence segunda etapa da Ocean Race Europe

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Alicante, Espanha, 09 jun 2021 (Lusa) — O VO65 português da Mirpuri Foundation Racing Team venceu a segunda etapa da edição inaugural da Ocean Race Europe, ao chegar a Alicante à frente da equipa da Akzonobel Ocean Racing, com quem travou uma renhida batalha.


A embarcação ‘Racing for the Planet’, da Fundação Mirpuri, depois de perder a primeira etapa na reta final na chegada a Cascais, conseguiu conquistar três pontos na regata costeira, disputada em Portugal, e hoje alcançou o topo da classificação com o triunfo no porto espanhol.


“Foi uma dura batalha com o Akzonobel Ocean Racing, a recuperar milhas a pouco e pouco até que os conseguimos ultrapassar ontem [terça-feira] à tarde, e a partir daí fomos capazes de manter a nossa liderança”, contou Yoann Richomme, o ‘skipper’ do VO65 português, à chegada a território espanhol.


Conquistados sete pontos em Alicante, a Mirpuri Foundation Racing Team ascendeu ao primeiro lugar da classificação com 11 pontos, graças os três pontos amealhados na regata costeira em Cascais e um somado na primeira etapa, e está empatada com a equipa do Akzonobel Ocean Racing.


“É fantástico conquistar a nossa primeira vitória e voltar ao topo do ‘ranking’. Foi uma etapa difícil, muito atarefada durante o tempo todo, com muitas mudanças de vela e um esforço muito grande de todos a nível físico. Foi um final difícil no Mediterrâneo com vento fraco, o que tornou muito desafiante taticamente e psicologicamente manter a liderança”, contou o ‘skipper’ francês Richomme.


Depois de cortar a meta com meia hora de avanço sobre o segundo classificado, a equipa dos atletas portugueses Bernardo Freitas, Mariana Lobato e Frederico Melo, viu os IMOCA 60 chegarem a Alicante com a vitória nesta classe a sorrir à LinkedOut, à frente da Offshore Team Germany.


“A etapa foi incrível, super intensa e a mais dura até agora, a nível físico. Acabámos por apanhar todo o tipo de condições. Saímos de Cascais com vento muito forte e foi sempre sem parar até Gibraltar, com posições muito intensas, a darmos o nosso melhor e felizmente conseguimos ganhar alguma vantagem. Sentir que somos rápidos com essas condições é ótimo e dá-nos bastante confiança”, disse Bernardo Freitas, em declarações à Lusa, admitindo que quando cortaram a linha “foi um sentimento muito especial, de trabalho cumprido e de confiança em tudo o que tem sido feito.”


A terceira e última etapa da Ocean Race Europe está prevista arrancar domingo, às 14:00 (hora local), com destino a Génova, em Itália, onde terminará a primeira edição da prova.



SRYS // AJO


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário