11 Setembro 2022, 16:10

Moscovo aumenta lista negra com autoridades australianas ligadas à Defesa

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Moscovo, 21 jul 2022 (Lusa) — A Rússia adicionou esta quinta-feira à sua lista negra 39 autoridades e empresários australianos ligados ao setor da Defesa, em resposta às sanções da Austrália contra cidadãos russos, divulgou o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo.


“A Rússia, por reciprocidade, amplia a sua lista negra nacional com 39 representantes do setor de Defesa, serviços de fronteira e empresas ligadas ao setor produtor de armas”, referiu o governo russo em comunicado.


O Ministério dos Negócios Estrangeiros justificou a medida com a “decisão anterior de Camberra em impor sanções com base na ‘Lei Magnitski'”.


“Caso as autoridades australianas continuem a incitar os espíritos ‘russofóbicos’ e a manter em curso a expansão das sanções, reservamo-nos ao direito de implementar novas medidas”, acrescentou.


No comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros divulgou a lista, que inclui vários ministros, vice-ministros, procuradores, comissários e empresários ligados à Defesa e ao Interior.


Em junho, a Rússia sancionou 121 jornalistas, soldados, empresários e especialistas australianos em retaliação por medidas semelhantes tomadas pelo governo de Camberra, devido à invasão russa da Ucrânia.


A Austrália aderiu às sanções ocidentais desde o início da chamada “operação militar especial” russa na Ucrânia e também forneceu armas ao Exército ucraniano.


No total, Camberra sancionou quase mil russos e dezenas de empresas estatais.


A Rússia iniciou uma ofensiva militar contra a Ucrânia em 24 de fevereiro, que foi amplamente condenada pela comunidade internacional, resultando em várias sanções contra os russos.



DMC // RBF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário