04 Fevereiro 2023, 22:52

Mundial2022: Portugal garantiu terceira melhor prestação de sempre em Mundiais

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Redação, 06 dez 2022 (Lusa) — Portugal garantiu hoje a sua terceira melhor prestação num Mundial de futebol, ao atingir, com um 6-1 à Suíça, os quartos de final da edição de 2022, repetindo o que tinha conseguido em 1966 e 2006.


Portugal atingiu as meias-finais nestas duas edições, conseguindo ficar em terceiro lugar na estreia, em 1966, em Inglaterra, e no quarto posto em 2006, na Alemanha.


Nas restantes presenças, a seleção das ‘quinas’ ficou-se pelos oitavos de final em 2010 e 2018, caindo perante Espanha (0-1) e Uruguai (1-2), respetivamente, enquanto em 1986, 2002 e 2014 nem sequer logrou ultrapassar a fase de grupos.


Desta vez, a formação lusa ultrapassou a fase de grupos com facilidade, no sentido de que o apuramento foi garantido logo após a segunda jornada, depois de triunfos face ao Gana (3-2) e ao Uruguai (2-0), ‘vingando’ o desaire de 2018.


No terceiro encontro da fase de grupos, e com a qualificação garantida, o selecionador luso, Fernando Santos, mudou muitas ‘peças’ e Portugal perdeu por 2-1 com a Coreia do Sul, de Paulo Bento, vencendo, ainda assim, o Grupo H.


Hoje, em embate dos ‘oitavos’, Gonçalo Ramos, que ‘sentou’ Cristiano Ronaldo, marcou três golos, aos 17, 51 e 67 minutos, e também faturaram Pepe, aos 33, Raphaël Guerreiro, aos 55, e Rafael Leão, aos 90+2. Manuel Akanji reduziu, aos 58.




– Ficha de Portugal:

Melhor classificação: 3.º lugar em 1966.

Títulos:
Campeonato da Europa, 1 (2016).
Liga das Nações, 1 (2019).

– As participações no Mundial:
Edição J V E D GOLOS Fase atingida Clas.
————————————————————————-
2022 4 3 0 1 12-5 (nos quartos de final) ?
2018 4 1 2 1 6-6 Oitavos de final 13.º
2014 3 1 1 1 4-7 1.ª fase 18.º
2010 4 1 2 1 7-1 Oitavos de final 11.º
2006 7 4 1 2 7-5 Meias-finais 4.º
2002 3 1 0 2 6-4 1.ª fase 21.º
1986 3 1 0 2 2-4 1.ª fase 17.º
1966 6 5 0 1 17-8 Meias-finais 3.º
Total: 34 17 6 11 61-40



PFO // PFO


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário