03 Julho 2022, 22:09

Novas sanções à Rússia “têm efeito imediato, nas próximas horas ou dias” – Santos Silva

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



As novas sanções à Rússia, como a exclusão do sistema Swift e a interdição de companhias russas no espaço aéreo europeu “têm efeito imediato, com implementação nas próximas horas ou dias”, disse hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros português.

“As medidas relativas às interdições de transações com o banco central da Rússia, do afastamento da Rússia do sistema Swift e do banimento dos voos no espaço aéreo europeu são medidas que têm efeito imediato, com implementação nas próximas horas ou dias”, disse à Lusa o ministro Augusto Santos Silva.

O governante falava no final da reunião, por videoconferência, dos ministros dos Negócios Estrangeiros (MNE) da União Europeia (UE), para decidir o reforço da ajuda militar às forças ucranianas face à invasão russa.

Augusto Santos Silva afirmou que a reunião do conselho dos MNE destinou-se a dar acordo político às propostas apresentadas pela Comissão Europeia e pelos altos representantes que “reforçam substancialmente as sanções contra a Rússia”.

Em causa está a exclusão de vários bancos russos do sistema financeiro Swift, o fecho a companhias aéreas russas do espaço aéreo europeu e a interdição de atividades de difusão de órgãos de comunicação social “que fazem parte do aparelho de propaganda e desinformação da Rússia”, disse o ministro.

Sem comentários

deixar um comentário