12 Agosto 2022, 08:05

Novo Centro de Vacinação de Gaia abre dia 20

© AMÂNDIA QUEIRÓS | MUNDO ATUAL
Susana Faria Administrator

O novo Centro de Vacinação de Gaia, no quartel dos Bombeiros Voluntários de Coimbrões, vai abrir no próximo dia 20, sendo esta “uma solução mais digna”, que permitirá o aumento da capacidade de inoculação.

Na primeira reunião de executivo do ano, a Câmara de Gaia aprovou um acordo de colaboração com Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Coimbrões que prevê a atribuição de uma verba de 10 mil euros, que corresponde a uma parcela de apoio para as despesas correntes como água, luz, limpeza e tudo o que envolva um acréscimo despesas.

“As despesas logísticas não estão incluídas, como estrutura e montagem de posto de vacinação. Nesta fase, acreditamos que os 10 mil euros seja o montante ideal para cobrir despesas até junho”, revelou Eduardo Vítor Rodrigues.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O presidente da Câmara de Gaia salientou que a transferência do Centro das Devesas, instalado na central dos CTT, para o quartel dos Bombeiros Voluntários de Coimbrões é uma solução melhor “em termos de qualidade e capacidade para um processo que prevemos que decorra até 30 de junho”.

“Se as Devesas era um excelente local para o processo de vacinação de carácter transitório para um processo de vacinação intenso, o quartel dos bombeiros assume-se como uma solução mais digna”, explicou.

Eduardo Vítor Rodrigues frisa que a libertação do Pavilhão das Pedras, um elemento fundamental para a atividade física dos jovens, ocorreu numa fase em que “acreditávamos estarmos perante o fim da vacinação”.

“Percebemos que era não bem assim e o Município tentou equilibrar o processo de vacinação com a necessidade de centenas de crianças e jovens que diariamente ocupam o Pavilhão das Pedras. No pressuposto que estaríamos a falar de uma situação transitória, conseguimos junto dos CTT, a cedência do centro de despachos das Devesas para ocuparmos o espaço de forma provisória, libertando assim o Pavilhão das Pedras”, sustenta o autarca.

“Não podemos continuar a falar de saúde mental e retirarmos um pavilhão que é usado por centenas de jovens”, destacou, referindo ainda que a transferência de local de vacinação permitirá o aumento da capacidade de inoculação.

Obras no Pavilhão do Olival paradas

As obras para a construção do Pavilhão Municipal do Olival, que arrancaram em janeiro do ano passado e representam um investimento municipal de 1,3 milhões de euros, pararam em dezembro, após o empreiteiro alegar não ter capacidade para continuar com os preços que tinha dado no concurso público.

O presidente da Câmara mostrou-se desagradado com a situação, uma vez que é a segunda vez que acontece no espaço de semanas, referindo que os serviços alegaram que não pode haver revisão de preços, tratando-se de um problema geral e não apenas de Gaia.

“Estavam numa fase em que não tinham dinheiro para comprar matérias-primas, como aço e estrutura metálica para o telhado. Temos de estudar isto juridicamente e o novo Governo vai ter de pagar por isto. Por este andar, os empreiteiros vão abandonar metade das empreitadas. As obras que estão a ser feitas hoje, são obras cujos preços foram estabelecidos há dois anos…o empreiteiro está a ter prejuízo”, defende.

Sem comentários

deixar um comentário