19 Janeiro 2022, 19:11

Novo crédito a particulares bateu máximos em novembro ao atingir 2.061 ME

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 05 jan 2022 (Lusa) – Os bancos emprestaram, em novembro passado, 2.061 milhões de euros em novos empréstimos aos particulares, o maior montante mensal de 2021, segundo dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal (BdP).


Os 2.061 milhões de euros emprestados em novembro em crédito aos particulares representam mais 9,5% do que o valor emprestado em outubro e mais 24% do que em novembro de 2020.


No total entre janeiro e novembro, os bancos emprestaram aos particulares 20.315 milhões de euros, mais 26% do que nos mesmos meses de 2020.


Para crédito à habitação, os bancos emprestaram 1.353 milhões de euros, mais 7% do que em outubro e mais 22% do que em novembro de 2020. O montante emprestado em novembro para compra de casa só foi superado pelo emprestado nos meses de julho (1.385 milhões de euros) e março (1.382 milhões de euros).


Entre janeiro e novembro foram emprestados no total 13.773 milhões de euros para crédito à habitação, mais 35% do que no mesmo período de 2020.


Já para a crédito ao consumo, foram emprestados em novembro 459 milhões de euros, mais 11% do que em outubro e mais 29% do que no mesmo mês de 2020. Novembro foi mesmo o mês do ano de 2021 em que os bancos mais emprestaram crédito para a finalidade de consumo.


No total entre janeiro e novembro foram emprestados 4.337 milhões de euros para consumo, mais 9,2% do que nos mesmos meses de 2020.


Por fim, em crédito a outros fins foram emprestados 248 milhões de euros em novembro, mais 20% do que em outubro e mais 31% do que em novembro de 2020. Também aqui novembro foi mesmo o mês do ano de 2021 em que os bancos mais emprestaram crédito para outros fins.


Quanto a novos empréstimos a empresas, em novembro foram emprestados 2.620 milhões de euros, mais 9,9% face a outubro e mais 32% face a novembro de 2020.


O montante emprestado em novembro às empresas só foi superado pelo concedido nos meses de maio (2.725 milhões de euros) e julho (2.655 milhões de euros).


Quanto a taxas de juro, em novembro, a taxa de juro média dos novos empréstimos à habitação subiu para 0,83%, o que segundo o Banco de Portugal acompanha “a evolução da Euribor a 12 meses, indexante mais utilizado no crédito à habitação”. Já a taxa de juro média ao consumo desceu para 6,59%.


A taxa de juro média dos novos empréstimos a empresas desceu para 1,95%, abaixo do registado em outubro de 2021 (2,09%) e em novembro de 2020 (1,99%).



IM // EA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário