09 Setembro 2022, 08:15

Número de infeções pela Monkeypox em Portugal sobe para 770

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O número de casos confirmados em Portugal de infeção pelo vírus Monkeypox subiu para 770, mais 60 do que o total comunicado na semana passada, informou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Os dados da DGS são divulgados semanalmente às quintas-feiras e atualizados até à quarta-feira anterior. Os primeiros cinco casos foram confirmados em Portugal em 03 de maio.

Segundo a informação hoje divulgada pela DGS, dos 678 casos de infeção reportados até quarta-feira ao Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica, a maioria (290) são pessoas entre os 30 e 39 anos e homens (673).

A 16 de julho foi iniciada a vacinação dos primeiros contactos próximos de casos e até 01 de agosto foram vacinadas 73 pessoas dos 104 contactos considerados elegíveis.

A DGS refere que continuam a ser identificados e orientados para vacinação os contactos elegíveis nas diferentes regiões.

De acordo com o Centro Europeu para Prevenção e Controlo de Doenças e a delegação regional da Organização Mundial da Saúde para a Europa, Portugal é o sexto país europeu com mais infeções.

Segundo a DGS, os sintomas mais comuns da infeção são febre, dor de cabeça intensa, dores musculares, dor nas costas, cansaço, aumento dos gânglios linfáticos com o aparecimento progressivo de erupções que atingem a pele e as mucosas.

Uma pessoa que esteja doente deixa de estar infecciosa apenas após a cura completa e a queda de crostas das lesões dermatológicas, período que poderá, eventualmente, ultrapassar quatro semanas.

Sem comentários

deixar um comentário