05 Fevereiro 2023, 03:50

“O nosso projeto é formar” – ACD Gulpilhares

Filipa Júlio Administrator

Associação Cultural e Desportiva de Gulpilhares
Gulpilhares

A Associação Cultural e Desportiva de Gulpilhares nasce em 1944 com o propósito de contribuir para a formação não académica dos seus sócios, respondendo a uma necessidade da altura: levar conhecimento a uma população, à data, maioritariamente analfabeta. O hóquei em patins chegou “por obra do destino” e é hoje a modalidade mais forte do clube, onde se formaram “muitos dos campeões da Europa e do Mundo”, contou, ao Mundo Atual, o presidente João Costa.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Um dos propósitos inscritos na carta do registo da ACD Gulpilhares era precisamente o de os associados que soubessem ler e escrever, ajudarem os outros a evoluir nesse sentido.

A história é contada, ao Mundo Atual, pelo atual presidente da Direção, João Costa, numa conversa longa, onde houve tempo para sentir o pulsar emocionado deste líder, especialmente quando chegamos ao presente. Um presente que consagrou a formação do clube com dois títulos nacionais: sub-23 masculino (com atletas que ali cresceram) e sub-15 feminino.

Os troféus premeiam toda “uma tradição de formação” do clube gaiense naquela que é a sua modalidade mais forte – o hóquei em patins – e que aconteceu quase por ordem do destino.

“No início, houve ciclismo, andebol e várias modalidades, até que, a certa altura, a Académica de Espinho ia ser obrigada a jogar em Aveiro, por causa da criação da Associação de Patinagem no distrito. Como os dirigentes não queriam, por causa das viagens e da falta de competitividade, arranjou um clube para se filiar no Porto.

Jogavam com o símbolo do Gulpilhares, mas o patrocinador era a Académica de Espinho”, contou o dirigente.

Patinagem artística da ACD Gupilhares reúne movimenta cerca de 60 atletas

Mais tarde, quando a Académica pôde voltar a competir por si, o Gulpilhares quis manter a modalidade e formou equipa, com alguns dos atletas que decidiram manter-se.

“Formamos imenso atletas aqui e fornecemos todos os clubes à volta. Começámos a ganhar campeonatos nacionais muito cedo e, quando descemos da I Divisão Nacional, éramos a equipa com mais presenças consecutivas nesse escalão: 22 anos, só superados por Benfica, FC Porto e Oliveirense”, recorda.

Quando os apoios começaram a baixar e outros problemas surgiram, há cerca de sete anos, “o clube teve de dar um passo atrás, no respeitante aos seniores, mas sem nunca descurar a formação”.

Nos últimos 20 anos, em termos de vitórias nos campeonatos nacionais, “é Porto, Valongo e Gulpilhares”, diz, com orgulho, para sublinhar: “Somos muito assediados em termos de jogadores, por isso temos sempre de formar três ou quatro bons jogadores, porque sabemos que vamos ser vítimas. Porto, Oliveirense, Valongo, vêm cá todos os anos, assim como Espinho e Carvalhos, muitas vezes”.

“Uma particularidade” destacada por João Costa prende-se com o facto de serem “muitos os campeões do mundo e da europa que fizeram todo o seu percurso no Gulpilhares, até ao momento em que, já como seniores”, rumaram a outros clubes.

Jorge Silva, Nuno Moreira, Caio, Girão, Vítor Hugo, Poca, Piolho, Rúben e Rubinho são apenas alguns exemplos, uma vez que, “na época passada, eram 11 os jogadores formados no Gulpilhares a jogar em clubes da I Divisão”.

O problema, diz, é que não é possível mantê-los.

“Fomos campeões de sub-23, com jovens que aqui jogam desde pequeninos, e assediados, todos os anos, para sair”, lembra. E como é que os segurou?

É aqui que João Costa mal consegue conter as lágrimas: “Foi um prémio que eles tiveram… nunca quiseram sair… e no último ano de formação, em que passam a seniores, são campeões… Eles olhavam para trás e pensavam: podia ter sido campeão no Porto, por exemplo… mas decidiram ficar e acabaram por ser campeões aqui”.

O mesmo acontece com os treinadores, como aconteceu com o técnico que conduziu estas duas equipas aos títulos nacionais, mas já com acordo de saída para o Valongo.

“O nosso projeto é formar. No feminino, abrimos a secção, campeã nacional de sub-15 e terceira classificada em sub-19. A patinagem artística, criada há cerca de dois anos, já conta com mais de 60 meninas”, remata.

NOME DO CLUBE: ACD Gulpilhares

FREGUESIA: Gulpilhares

ANO DE FUNDAÇÃO: 1944

PAVILHÃO: Municipal de Gulpilhares

Nº ATLETAS: Média de 170

MELHORES CLASSIFICAÇÕES:
Vice-campeão da III divisão nacional na época de 1989/1990, lugar este que lhe permitiu ascender à II divisão.
Vice-campeão da II divisão nas épocas de 1992/1993; 1993/1994, sendo que, nesta segunda época consegue a subida à I divisão nacional.
Finalista vencido da Taça CERS na época de 1996/1997 (a taça CERS era o equivalente à taça UEFA no futebol).
Campeão Nacional Iniciados 1996-1997/2002-2003;
Campeão Regional Porto Juvenis 1997-1998/1998-1999/2000-2001/2002-2003;
Campeão Regional Porto Infantis 1997-1998/2002-2003;
Campeão Regional Porto Iniciados 1999-2000/2003-2004/2004-2005;
Campeão Regional Porto Juniores 2007-2008;
Campeão Nacional Juniores 2003-2004/2007-2008;
Campeão Nacional Juvenis 2004-2005;
Campeão Nacional Sub 15 Feminino 2021-2022;
Campeão Nacional Sub 23 2021-2022.

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

Sem comentários

deixar um comentário