29 Janeiro 2022, 13:10

Óbito/Desmond Tutu: Cidade do Cabo ilumina icónica Table Mountain em roxo

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Joanesburgo, 26 dez 2021 (Lusa) — A África do Sul vai iluminar em roxo a Table Mountain, na Cidade do Cabo, em homenagem ao arcebispo emérito sul-africano e vencedor do Prémio Nobel da Paz de 1984, Desmond Tutu, que morreu hoje aos 90 anos.


A Câmara da cidade do Cabo também será iluminada em tons roxos, cores com as quais o arcebispo costumava vestir-se, adiantou o presidente, Geordin Hill-Lewis, em comunicado.


“Esperamos que isso ajude a lembrar e homenagear o maior residente da cidade do Cabo e tudo o que ele representou”, disse Hill-Lewis.


As luzes roxas acenderão às 20:00 (18 GMT) e permanecerão esta semana acesas todos os dias até a meia-noite.


Desmond Tutu, arcebispo emérito sul-africano e vencedor do Prémio Nobel da Paz de 1984 pelo seu ativismo contra o regime de segregação racista do Apartheid, morreu hoje aos 90 anos, anunciou o Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa.


O arcebispo anglicano estava debilitado há vários meses, durante os quais não falou em público, mas ainda cumprimentava os jornalistas que acompanhavam cada uma das suas saídas recentes, como quando foi tomar a sua vacina contra a covid-19 num hospital ou quando celebrou os seus 90 anos em outubro.


Desmond Tutu ganhou notoriedade durante os piores momentos do regime racista na África do Sul, quando organizava marchas pacíficas contra a segregação, enquanto sacerdote, pedindo sanções internacionais contra o regime branco em Pretória.


Com o advento da democracia, 10 anos depois, o homem que deu à África do Sul o nome de “nação arco-íris” presidiu à Comissão de Verdade e Reconciliação criada com o objetivo de virar a página sobre o ódio racial, mas as suas esperanças foram rapidamente frustradas. A maioria negra adquiriu o direito de voto, mas continua em grande parte pobre.


Depois do combate ao ‘apartheid’, Tutu empenhou-se na reconciliação do seu país e na defesa dos direitos humanos.


Contra a hierarquia da igreja anglicana, defendeu os homossexuais e o direito ao aborto, tendo nos últimos anos aberto como nova frente de combate o direito ao suicídio assistido.


SVF (RCS/MSF) // HB


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário