16 Setembro 2022, 14:59

Óbito/Sampaio: Eanes e Cavaco estiveram no velório por cerca de meia hora

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Os dois antigos Presidentes da República, Ramalho Eanes e Cavaco Silva, marcaram hoje presença no início do velório de Jorge Sampaio, no qual estiveram durante cerca de meia hora, saindo sem prestar declarações à comunicação social.

Ambos chegaram ao antigo picadeiro real, onde decorrem as cerimónias fúnebres, pouco depois das 11:30, no período destinado às altas individualidades, e saíram alguns minutos após o meio-dia, hora a que deveria começar a abertura ao público, ainda um pouco atrasada.

Numa declaração hoje de manhã no seu gabinete, o antigo Presidente da República António Ramalho Eanes recordou Jorge Sampaio como uma “das figuras maiores da vida política” contemporânea de Portugal e como um homem que mostrou um “corajoso empenho na defesa dos ideais democráticos”.

“Jorge Sampaio é, por merecimento de continuidade e unidade na ação cívica e na ação política, sobretudo, uma das figuras maiores da vida política portuguesa contemporânea”, sustentou o general Ramalho Eanes, através de uma declaração no seu gabinete, em Lisboa.

Na sexta-feira, também numa declaração no seu gabinete, Aníbal Cavaco Silva afirmou que é um tempo de “profunda tristeza nacional” e sublinhou que o povo português “tem todas as razões para admirar e honrar” o antigo chefe de Estado Jorge Sampaio.

“Este momento é um tempo de profunda, profunda tristeza nacional. Eu inclino-me perante a memória do Presidente Jorge Sampaio”, afirmou.

Antes de Ramalho Eanes e Cavaco Silva, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, e o primeiro-ministro, António Costa, receberam o cortejo fúnebre do antigo chefe de Estado Jorge Sampaio, em Belém, pelas 11:10.

Coberta pela bandeira nacional, a urna com o corpo do antigo Presidente da República chegou a Belém transportada num carro funerário, do qual foi retirada por cadetes das Forças Armadas.

Após receber honras militares, a urna deu entrada no antigo picadeiro ao som da marcha fúnebre, seguida pela mulher, Maria José Ritta, e filhos de Jorge Sampaio, André e Vera, e pelas entidades oficiais.

Um por um, Marcelo Rebelo de Sousa, Ferro Rodrigues e António Costa ajeitaram as respetivas coroas de flores e apresentaram pêsames à família de Jorge Sampaio, retirando-se em seguida, cerca das 11:25.

O velório, no antigo picadeiro real que fica junto ao Palácio de Belém, estará aberto ao público entre as 12:00 e as 23:00 de hoje.

No domingo, às 11:00, haverá uma cerimónia de homenagem a Jorge Sampaio no Mosteiro dos Jerónimos, antes da saída do funeral para o Cemitério do Alto de São João, em Lisboa, onde a chegada do corpo do antigo Presidente está prevista para as 13:30.

Jorge Sampaio, antigo secretário-geral do PS (1989/1992) e Presidente da República (1996/2006), morreu na sexta-feira, aos 81 anos, no Hospital de Santa Cruz, em Carnaxide, Oeiras, onde estava internado desde 27 de agosto, na sequência de dificuldades respiratórias.

O Governo decretou três dias de luto nacional, entre sábado e segunda-feira, pela morte do antigo Presidente da República e secretário-geral do PS, e cerimónias fúnebres de Estado.

 

Sem comentários

deixar um comentário