16 Agosto 2022, 15:39

Oceanos: Macron aponta avanços em acordos internacionais como resultados concretos

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 30 jun 2022 (Lusa) — O Presidente francês afirmou hoje que iniciativas como a Conferência dos Oceanos da ONU trazem resultados concretos e deu o exemplo dos países que se juntaram ao compromisso de 30% das áreas oceânicas protegidas até 2030.


“Criamos (nestes eventos) coligações para proteger melhor, por exemplo, os nossos espaços marítimos. Graças a esta conferência, foram reunidos mais países. Chegámos a mais de 100 países”, respondeu Emmanuel Macron quando questionada se a declaração que sair desta conferência de Lisboa não será apenas isso, palavras.


“Continuámos um combate que é muito importante. Foi um encontro importante para fazer avançar os acordos”, sublinhou, questionado pelos jornalistas quando passeava a pé com o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, no Parque das Nações, em Lisboa, onde participou na II Conferência dos Oceanos das Nações Unidas.


Menos de 10% das áreas dos oceanos do mundo estão atualmente protegidas, mas agora mais de 100 países juntaram-se numa coligação que defende a reserva de 30% da superfície terrestre e oceânica do planeta para áreas protegidas até 2030, como tinha já referido o Presidente francês na sua intervenção esta tarde no plenário da conferencia que decorre esta semana em Lisboa.


Ao preservar o alto mar “estão a ser feitos progressos na luta contra a pesca ilegal”, lembrou, enquanto se deslocava com Marcelo Rebelo de Sousa, rodeados pelas respetivas comitivas e pela comunicação social.


No trajeto até ao Oceanário, os dois chefes de Estado pararam para conversar e cumprimentar pessoas que passavam, portugueses mas também franceses, alguns com direito a fotografia com o Presidente do seu país, em visita breve a Lisboa.



ANP // PDF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário