14 Maio 2022, 21:20

OE2022: Voto contra de PSD e IL é prova de que orçamento não tem austeridade

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

O primeiro-ministro, António Costa, considerou hoje que o voto contra a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) na generalidade por parte de PSD e IL demonstra que “não é um orçamento de austeridade”.

“Se houvesse alguma dúvida, não há melhor prova de que este não é um orçamento de austeridade do que o facto de o PSD já ter anunciado que vai votar contra”, disse o primeiro-ministro, durante a discussão da proposta de Orçamento do Estado na Assembleia da República.

Em tom jocoso, António Costa argumentou que se houvesse austeridade na proposta apresentada pelo Governo, sociais-democratas e liberais teriam votado favoravelmente e “aplaudido em aclamação”.

Durante a discussão, a Iniciativa Liberal questionou se o primeiro-ministro estava em incumprimento do regimento da Assembleia da República por não comparecer às audições previstas sobre os Assuntos Europeus, pasta que está sob a alçada de António Costa.

Face à insistência dos liberais, Costa respondeu que não estava em incumprimento.

Pelos comunistas, a deputada Alma Rivera exortou o Governo a assegurar a condições para os profissionais da cultura exercerem as suas profissões, criticando a verba prevista para aquele ministério.

Na resposta, o primeiro-ministro disse que “não basta ter um Ministério da Cultura, é preciso ter um Governo da Cultura”, relembrou que as verbas para a Cultura não se esgotam no valor previsto no OE2022 e assegurou que haverá o envolvimento de outros ministérios neste setor.

A proposta de Orçamento do Estado para 2022 vai ser discutida no parlamento entre hoje e sexta-feira. A votação na generalidade está agendada para sexta-feira.

Sem comentários

deixar um comentário