13 Maio 2022, 09:31

Papa adia visita ao Líbano por razões de saúde

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

O Papa Francisco adiou a sua visita ao Líbano, agendada para junho, por razões de saúde, anunciou hoje o ministro do Turismo libanês, Walid Nassar.

“O Líbano recebeu uma carta do Vaticano informando-o oficialmente da decisão de adiar a visita agendada do Papa ao Líbano”, declarou Nassar num comunicado divulgado pela Agência Nacional de Informação (ANI).

As “visitas ao estrangeiro (…) foram adiadas por razões de saúde”, precisou o ministro, acrescentando que uma nova data para a visita será anunciada “assim que for marcada”.

A Presidência libanesa tinha anunciado em abril que fora informada de uma visita do Papa ao país em meados de junho, mas o Vaticano não confirmou essa deslocação.

Com 85 anos, o Papa, que tem problemas na articulação de uma anca e num joelho que lhe causam dor aguda e o fazem coxear, foi pela primeira vez visto numa cadeira de rodas num evento público na semana passada.

A visita de Francisco ao Líbano seria a terceira de um chefe da Igreja Católica em exercício desde o fim da guerra civil, em 1990. A segunda foi em 2012, quando Bento XVI efetuou uma visita de três dias ao país.

O Líbano, que tem uma das maiores comunidades cristãs do Médio Oriente, está desde 2019 mergulhado numa crise económica e social sem precedentes, com mais de 80% da população a viver abaixo do limiar da pobreza definido pela ONU.

O Papa Francisco multiplicou nos últimos meses as mensagens de apoio ao país e manifestou várias vezes a intenção de aí se deslocar.

Apesar dos problemas de saúde do Papa, o Vaticano confirmou a sua visita ao Congo e ao Sudão do Sul no início de julho, e Francisco declarou que espera visitar o Canadá também em julho.

Sem comentários

deixar um comentário