25 Maio 2022, 01:10

Parlamento italiano inicia processo de eleição de novo Presidente da República

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 24 jan 2022 (Lusa) — O parlamento italiano inicia hoje o processo de votação para eleger o Presidente da República para os próximos sete anos, numa sessão conjunta com 639 deputados, 321 senadores e 58 delegados regionais.


Embora não haja candidaturas formais ao cargo, os partidos tendem a negociar para tentar encontrar um candidato comum, o que aconteceu também desta vez, para encontrar o substituto do atual titular, Sergio Mattarella.


Existe já uma aliança para encontrar um candidato comum entre três formações — o Movimento 5 Estrelas (M5S), o Partido Democrata (PD) e o progressista Artigo Um — que, em qualquer caso, contará com mais forças políticas, como o partido de Matteo Renzi, Itália Viva.


Esta aliança não anunciou ainda o nome do seu candidato, porque a prioridade inicial era acordarem que encontrariam um “respeitável”, para travar a candidatura do polémico ex-primeiro-ministro conservador Silvio Berlusconi, que contaria com o apoio do bloco da direita e extrema-direita, mas acabou por se retirar da corrida no sábado.


Os líderes da Liga, Matteo Salvini, e dos Irmãos de Itália, Giorgia Meloni, tinham instado Berlusconi a fazer um anúncio oficial da sua candidatura ao palácio do Quirinal até domingo, ou então escolheriam outro candidato para apoiar, o que agora terão de fazer.


Um dos nomes mais apontados é o do atual primeiro-ministro, Mario Draghi, uma figura consensual, mas essa alternativa implicaria procurar um substituto para chefiar o governo de coligação, o que poderá complicar a eleição do economista, segundo os analistas.


Nos termos da Constituição italiana, é necessária maioria de dois terços do parlamento para eleger o novo Presidente. Se tal não acontecer ao fim de três votações, a partir da quarta apenas é necessária maioria absoluta (metade dos votos mais um).


Tal exigirá uma aproximação entre o bloco da direita e do da esquerda, tendo em conta que nenhum deles tem votos suficientes para impor um candidato.


 


ANC // JMR


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário