08 Dezembro 2022, 01:57

Parque Biológico de Gaia reinventa-se para fazer face à pandemia de Covid-19

O setor de Educação Ambiental do Parque Biológico adaptou o seu programa habitual, tendo realizado, nos meses de julho, agosto e setembro um conjunto de dinâmicas diárias, de segunda a sexta-feira. Temos feito outro tipo de atividades que vão ao encontro famílias, sempre por marcação. As famílias chegam e são sempre encaminhadas pelos nossos colaboradores.

O Parque Biológico de Gaia, situado nas freguesias de Avintes e Vilar de Andorinho, é uma reserva protegida que surgiu há mais de 30 anos, inicialmente como um viveiro.  Tem como principal missão ambiental a conservação da fauna e flora portuguesa. Os 34 hectares de extensão que possui, albergam cerca de mil animais de 92 espécies diferentes.

Integrado no parque, existe um Centro de Recolha e Recuperação de Aves e outros animais, que tem salvado e devolvido vários animais ao seu habitat natural, como explicou ao Mundo Atual, a diretora de Departamento de Ambiente e Parques Urbanos da Câmara de Gaia.

“O nosso centro de recolha de Recuperação de Aves e outros animais tem restituído muitas aves selvagens à sua vida em liberdade. Recebemos animais que são feridos, encontrados nas ruas em más condições e tentamos ajudá-los para mais tarde serem devolvidos”, revelou, Rita Diogo.

A chegada da pandemia de Covid-19, em março, alterou tudo o que estava programado para o ano de 2020 e obrigou ao encerramento do Parque durante quase três meses.

Durante esse período, a Câmara de Gaia cedeu a Hospedaria do Parque Biológico a doentes com Covid-19 que não possuíam condições para enfrentar a doença em isolamento. O alojamento na Hospedaria foi, inclusive, denominado de «Hotel Positivo».

 

Entretanto, a reserva protegida reabriu ao público no mês de junho, mas sem as habituais atividades de férias letivas e sem as noites temáticas, como a do pirilampo que trazia ao parque cerca de 300 pessoas por dia.

De forma a fazer face a todos os constrangimentos causados pela Covid-19, o Parque Biológico de Gaia reinventou-se, criou e adaptou atividades para que os visitantes pudessem disfrutar da natureza, de acordo com as medidas impostas pela Direção-Geral da Saúde.

“O setor de Educação Ambiental do Parque Biológico adaptou o seu programa habitual, tendo realizado, nos meses de julho, agosto e setembro um conjunto de dinâmicas diárias, de segunda a sexta-feira. Temos feito outro tipo de atividades que vão ao encontro famílias, sempre por marcação. As famílias chegam e são sempre encaminhadas pelos nossos colaboradores”, adiantou ainda Rita Diogo.

Apesar de todas as adaptações, o número de visitantes continua a ser muito reduzido e inferior ao normal para esta reserva, tutelada pela Câmara de Gaia, que recebia milhares de pessoas, tais como grupos de estudantes e famílias.

Sem comentários

deixar um comentário