05 Fevereiro 2023, 10:54

Pelo menos 14 mortos em Joanesburgo após súbita inundação

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Pelo menos 14 pessoas morreram na súbita inundação de um curso de água em Joanesburgo, atingida no sábado por violentas tempestades, enquanto prosseguem as buscas para detetar diversos desaparecidos, indicaram os serviços de emergência da cidade sul-africana.

O balanço aumentou de nove para 14 mortos com a descoberta de mais cinco corpos, indicou à agência noticiosa AFP Robert Mulaudzi, porta-voz dos serviços de emergência da cidade, que no final da tarde de hoje não conseguiu fornecer dados mais precisos sobre as pessoas desaparecidas.

“Na noite de [sábado], um grupo de pessoas participava em rituais religiosos no rio quando eclodiu a tempestade”, indicou previamente, precisando que 33 fiéis se encontravam junto à margem do pequeno rio Jukskei, no momento da enorme inundação.

“Quando começou a tempestade, muitos estavam de pé no leito do rio, promovendo rituais, batismos”, indicou. “Foram arrastados pela força da corrente”, acrescentou, para precisar que o pastor que presidida à cerimónia sobreviveu.

“Duas pessoas foram arrastadas, as suas mortes confirmadas nesse mesmo dia no local”, adiantou o porta-voz. As equipas de socorro, com o apoio dos bombeiros, retomaram as buscas no início da manhã de hoje e identificaram mais 12 corpos.

A esperança de encontrar outros desaparecidos “vivos está a desvanecer-se”, sublinhou.

As subidas repentinas de água são frequentes neste bairro periférico de Joanesburgo, onde as tempestades, que surgem quase todas as tardes durante o verão austral, são muitas vezes repentinas e violentas.

“Ao acesso aos rios é livre neste país e as pessoas praticam a religião que entendem”, recordou Mulaudzi. “Mas devemos intensificar as campanhas se sensibilização” para evitar que se repitam dramas deste género.

Sem comentários

deixar um comentário