08 Janeiro 2023, 01:06

Pentágono afirma que 80.000 soldados russos foram mortos ou feridos na Ucrânia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Cerca de 80.000 soldados russos foram mortos ou feridos desde o início da invasão da Ucrânia, disse hoje o número três do Pentágono, Colin Kahl, salientando que os alvos anunciados pelo Presidente russo, Vladimir Putin, ainda não foram atingidos.

“Os russos perderam provavelmente 70.000 ou 80.000 soldados em menos de seis meses”, disse Kahl, secretário-adjunto da Defesa para a a Política, aos jornalistas, observando que o número inclui mortos e feridos.

As forças russas também perderam “3.000 ou 4.000” veículos blindados, e podem ter falta de mísseis guiados de precisão, incluindo mísseis ar-terra e mar-terra, acrescentou.

“Isto é bastante notável dado que os russos não alcançaram qualquer dos objetivos de Vladimir Putin no início da guerra”, prosseguiu o funcionário norte-americano.

“Fizeram alguns progressos no Leste, embora muito poucos nas últimas semanas”, observou. “Mas isto teve um custo extraordinário para os militares russos, devido à qualidade dos militares ucranianos e à assistência internacional que receberam.

Kahl reconheceu que as forças ucranianas também tinham sofrido pesadas baixas, mas não deu números.

Kiev comunicou pelo menos 10.000 mortos e 30.000 feridos entre as suas tropas.

 

Sem comentários

deixar um comentário