18 Janeiro 2022, 01:25

Pepa diz que Guimarães tem “margem para crescer” e quer voltar aos triunfos em Paços

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Guimarães, Braga, 03 dez 2021 (Lusa) — O treinador do Vitória de Guimarães, Pepa, afirmou hoje que espera regressar aos triunfos na visita a Paços de Ferreira, em jogo da 13.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, por uma equipa com “margem para crescer”.


O técnico regressa, no sábado, ao Estádio Capital do Móvel, ‘casa’ da formação que orientou nas épocas 2019/20 e 2020/21, e disse que os vitorianos estarão mais perto de vencer “um jogo de muita luta e de muita entrega”, se se mostrarem “iguais a si próprios” e ‘assinarem’ uma “boa exibição”.


“Somos uma equipa com margem para crescer, sabendo que a margem de erro é muito pequena, muito reduzida. É preciso saber viver nesta ‘balança’ de uma equipa com margem para crescer e de uma margem de erro reduzida. Queremos voltar às vitórias no campeonato para ‘trepar’ na classificação. Com naturalidade, os resultados vão surgir”, disse o técnico, na conferência de antevisão ao jogo, marcado para as 20:30.


Sétima classificada, com 16 pontos, a equipa de Guimarães sabe que tem de manter “o rigor e a concentração” ao longo dos 90 minutos para se impor a um opositor que, enquanto anfitrião, costuma ser “muito vertical no ataque à profundidade”, com “pressão alta” sobre o adversário e com os extremos a darem “muita largura” na hora de atacar.


“Cabe-nos perceber os momentos do jogo. Qualquer erro se paga muito caro. Depois, temos de ‘agredir’ nos sítios e momentos certos”, aconselhou o treinador.


Confrontado com o facto de rever a anterior equipa e vários dos jogadores que treinou, Pepa realçou que “cada jogo tem a sua história”, apesar de ter lembrado que, antes do desaire no reduto do FC Porto (2-1), na 12.ª jornada, o Vitória defrontou por duas vezes o Moreirense, do seu ex-treinador João Henriques, tendo vencido para o campeonato (2-1) e perdido para a Taça de Portugal (3-2).


Com o defesa Borevkovic e o avançado Oscar Estupiñán novamente disponíveis, após recuperarem de lesões, o técnico, de 40 anos, reconheceu que os treinos são “melhores” e “mais competitivos” quando há mais jogadores, o que é “bom para o clube” e para quem os treina.


Já André André, Joseph, Rúben Lameiras e Herculano falham a visita à ‘capital do móvel’, por lesão, enquanto o central Abdul Mumin cumpre um jogo de suspensão, após ter sido expulso por acumulação de amarelos frente aos ‘dragões’.


Pepa reconheceu que os atletas vitorianos precisam de ter cautela na forma como abordam os lances, para evitarem sanções disciplinares e eventuais expulsões, mesmo preferindo uma equipa “agressiva” e uma equipa “macia”.


“Há situações que só se resolvem com a própria experiência. São precisos minutos e jogo. Entre sermos macios e pouco intensos e andarmos no limite do cartão amarelo, mas sermos fortes na reação à perda e agressivos, preferimos a segunda opção. Claro que é preciso dosear a agressividade, mas estamos a falar de um erro ou de outro. Temos de andar no limite da agressividade”, explicou.


O Vitória de Guimarães, sétimo classificado da I Liga portuguesa, com 16 pontos, defronta o Paços de Ferreira, 12.º, com 11, em jogo agendado para as 20:30 de sábado, no Estádio Capital do Móvel, com arbitragem de João Pinheiro, da Associação de Futebol de Braga.


 


TYME // RPC


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário