11 Agosto 2022, 11:28

Pequim2022: Michele Gisin revalida título de combinado, Shiffrin volta a falhar

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

A suíça Michele Gisin revalidou hoje o título olímpico de combinado de esqui alpino, nos Jogos Pequim2022, numa prova em que a norte-americana Mikaela Shiffrin, a grande dominadora da modalidade, protagonizou mais um desaire.

Na pista de Yanging, Gisin impôs-se com o tempo de 2.25,67 minutos, e revalidou o ouro conseguido em 2018, partilhando o pódio com a sua compatriota Wendy Holdener, prata, e com a italiana Federica Brignone, bronze.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



A prova de combinado, que junta a descida e o slalom, era a quinta e derradeira oportunidade para Shiffrin conseguir uma medalha individual nos Jogos Pequim2022, mas a bicampeã olímpica e pentacampeã mundial voltou a falhar, protagonizando uma saída de pista.

“Sinto-me ridícula”, afirmou Shiffrin no final da prova, acrescentando: “Estou desapontada e frustrada, também sei que surgirão muitos comentários sobre as minhas falhas nas últimas semanas. É estranho, mas nem tenho medo disso, porque sinto que dei o máximo.

Mikaela Shiffrin, recordista absoluta de vitórias consecutivas em provas de slalom da Taça do Mundo (47), que disputa sábado a prova por equipas, participou em cinco competições individuais nos Jogos Pequim2022: foi nona no super-G, 18.ª no downhill, e não terminou as provas de slalom, slalom gigante e combinado.

No hóquei no gelo feminino, o Canadá vingou a derrota sofrida na final há quatro anos e venceu os Estados Unidos, por 3-2, conquistando o seu quinto ouro olímpico na modalidade.

No estádio Wukesong, e num jogo que opôs os dois únicos países que somam títulos olímpicos na modalidade, as canadianas, campeãs mundiais, dominaram o encontro, a quarta final olímpica para a sua ‘capitã’ Marie-Philip Poulin, que apontou dois golos.

O Canadá, detentor de cinco títulos, e os Estados Unidos, que somam dois, vão partilhar o pódio com a Finlândia, que na quarta-feira venceu a Suíça, por 4-0, na luta pelo bronze.

Na patinagem de velocidade, a japonesa Miho Takagi conquistou o ouro na prova dos 1.000 metros, com o tempo de 1.13,19, marca que constitui novo recorde olímpico, impondo-se à holandesa Jutta Leerdam, e à norte-americana Brittany Bowe, medalhas de prata e bronze, respetivamente.

A sueca Sandra Naeslud confirmou o estatuto de favorita e venceu o auto na prova de esquí cross, à frente da canadiana Marielle Thompson, medalha de prata, e da alemã Daniela Maier, bronze.

Sem comentários

deixar um comentário