03 Dezembro 2021, 01:27

Pescadores da região Norte suspendem paragem e regressam hoje à atividade

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Os pescadores da região Norte que protestavam contra uma “excessiva fiscalização” decidiram suspender a paragem da atividade, que vigorava desde quarta-feira, e vão hoje à noite regressar ao mar, disse à agência Lusa uma das associações do setor.

A medida abrange os pescadores da faixa litoral de Viana do Castelo até à Figueira Foz, que decidiram voltar aos barcos depois de uma reunião, na sexta-feira, em Lisboa, liderada pela secretária de Estado das Pescas, Teresa Coelho, com associações do setor, autoridades e outras entidades estatais.

“Foram assumidos compromissos importantes para que, em conjunto, sejam clarificadas e ajustadas as normas que regulam o setor. Reunidas essas necessidades imediatas, vamos suspender os protestos e a greve em vigor e regressar à atividade, esperando pelo fim e resultados do grupo de trabalho”, disse Manuel Marques, da Associação de Armadores da Pesca do Norte.

O responsável mencionou, ainda, que ficou acordado que as ações de fiscalização, que estavam a ser levadas a cabo pela Unidade de Controlo Costeiro da GNR e que desagradavam os pescadores, “continuam suspensas enquanto se trabalha no reajuste das regras”.

“Sabemos que não é um processo fácil, mas reconhecemos o esforço do Governo na resolução das queixas apresentadas pelo setor das pescas. Há situações que têm de ser alteradas, nomeadamente a fiscalização aos mapas de férias, e confiamos que as entidades responsáveis vão trabalhar nisso”, completou Manuel Marques.

Com este voto de confiança, os pescadores da região Norte reconsideraram a posição de paragem da atividade tomada na quarta-feira, depois de uma primeira reunião com a secretária de Estado da Pescas, na Póvoa de Varzim.

Na altura, Teresa Coelho reconheceu que o setor “tem características especiais, que tem de ter situações de exceção [no âmbito da legislação laboral”, acreditando que a situação “será resolvida”.

A paragem dos pescadores da região Norte tinha afetado mais de centena de embarcações, que agora retomam a atividade depois de cinco dias de paragem.

 

Sem comentários

deixar um comentário