19 Setembro 2021, 11:45

Pescadores querem aumento das capturas diárias de sardinha até novembro

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Peniche, Leiria, 18 jun 2021 (Lusa)- A única associação nacional representativa do setor da pesca da sardinha defendeu hoje o aumento dos limites diários de capturas e o seu prolongamento até novembro, após a abertura do Governo para aumentar a quota daquele recurso.


“Solicitamos o aumento de 20 a 30% dos limites diários de captura, já a partir da próxima semana, nesta altura de grande procura, e o alargamento da atividade até ao final de novembro, porque é importante do ponto de vista económico e social”, afirmou à agência Lusa Humberto Jorge, presidente da Associação Nacional das Organizações de Produtores da Pesca (ANOP) do Cerco.


Segundo o dirigente, “há esse compromisso da parte do Governo”.


A organização recebeu hoje “com satisfação” a abertura do Governo para aumentar até 30.000 toneladas já este ano as capturas da sardinha, na sequência do parecer do Conselho Internacional para a Exploração do Mar (ICES, na sigla em inglês), também hoje conhecido.


“Para nós é uma constatação já com dois anos e finalmente vemos reconhecida a verdadeira situação do recurso no mar”, sublinhou.


Com o aumento das possibilidades de pesca, o setor pretende também “reaver os canais de abastecimento da indústria portuguesa” para escoar o pescado “com rendimentos aceitáveis”, num ano em que não há festejos dos Santos Populares por causa da pandemia de covid-19.


Ainda assim, o dirigente está “convencido que os portugueses vão consumir sardinha em casa e nos restaurantes”.


Apesar do aumento prometido das possibilidades da pesca da sardinha, os pescadores “não querem comprometer de maneira nenhuma a sua recuperação”, recordando que as medidas implementadas pelo setor desde há vários anos no âmbito do plano de gestão até 2022 “tiveram efeito ou ajudaram à recuperação”.


A captura de sardinha em Portugal poderá aumentar para até 30.000 toneladas já este ano, anunciou o ministro do Mar, após o parecer científico do Conselho Internacional para a Exploração do Mar.


“Estamos em condições de aumentar de 10.000 toneladas para perto das 30.000 toneladas em Portugal. As opções vão ainda ser acordadas com Espanha, uma vez que o manancial é comum”, anunciou, em conferência de imprensa, Ricardo Serrão Santos.


As capturas de sardinha em Portugal e Espanha não devem ultrapassar as 40.434 toneladas este ano, recomendou hoje o ICES.


“Quando o rendimento máximo sustentável foi alcançado, as capturas em 2021 poderão ser de, no máximo, 40.434 toneladas”, lê-se no parecer do ICES.


O diálogo com Espanha prossegue agora para definir as exatas possibilidades de pesca para os dois países.


De acordo com a secretária de Estado das Pescas, Teresa Coelho, a negociação será entre as 27.000 e as 30.000 toneladas, uma vez que Portugal é responsável por 66,6% da quota de pesca da sardinha, enquanto Espanha fica com os restantes 33,3%.


A pesca da sardinha reabriu em 17 de maio, após quase sete meses de interdição, com um limite de 10.000 toneladas até julho.


A revisão hoje apresentada pelo ICES surge em resposta a um pedido, realizado em fevereiro, pelos governos de Portugal e Espanha.



FCC (PE) // EA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário