14 Novembro 2022, 03:46

Plano de alojamento de sem-abrigo foi “uma pedra no charco” — ministra

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Coimbra, 17 nov 2021 (Lusa) — O programa de alojamento de pessoas em situação de sem-abrigo implementado pelo Governo foi “uma pedra no charco”, disse hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, considerando que a estratégia tem de continuar.


“Acredito que este programa foi uma pedra no charco de mudança nas respostas integradas às pessoas sem-abrigo, que é para continuar. Nada disto é para voltar atrás”, afirmou Ana Mendes Godinho, que falava aos jornalistas após a assinatura de protocolos para soluções habitacionais para pessoas em situação de sem-abrigo com a Associação Integrar, em Coimbra.


Para Ana Mendes Godinho, o programa, que se divide entre as respostas de ‘housing first’ e habitações partilhadas, é já “um sucesso”, considerando que é preciso “continuar com estas respostas integradas e priorizando cada vez mais a intervenção a nível da prevenção”.


Os protocolos celebrados hoje em Coimbra, que vão dar resposta a 20 cidadãos em Coimbra (cinco em apartamentos partilhados e 15 em ‘housing first’), são os primeiros assinados no âmbito do aviso deste programa lançado em 2021, explicou.


Segundo a ministra, já há cerca de 500 pessoas abrangidas pelo programa, contando agora celebrar protocolos para dar resposta a mais 600 pessoas.


“Espero que os 600 sejam já todos assinados nos próximos meses, idealmente no próximo mês. As candidaturas foram apresentadas em setembro e estamos aqui a imprimir uma grande rapidez”, realçou.


Para a ministra, estes projetos “garantem um direito básico: que estas pessoas tenham um alojamento, que também é uma condição básica de reintegração”.


Na cerimónia, a presidente da Integrar, Helena Lourinho, destacou a inovação do programa, acreditando na resposta que este dá às pessoas em situação de sem-abrigo.


A vereadora da Câmara de Coimbra com a pasta da ação social, Ana Cortez Vaz, realçou também a importância da metodologia aplicada, salientando que “com caridade, não se vai a lado nenhum”.



JGA // JEF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário