13 Maio 2022, 13:31

PM de Cabo Verde na Guiné-Bissau para reforçar relações bilaterais

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Praia, 08 mai 2022 (Lusa) – O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, afirmou hoje o objetivo de reforçar as relações bilaterais com a Guiné-Bissau durante a primeira visita que realiza ao país, a partir de segunda-feira.


“Esta é a minha primeira visita enquanto chefe do Governo cabo-verdiano à Guiné-Bissau, país com o qual Cabo Verde já demonstrou claramente a sua intenção e vontade no reforço de cooperação e aprofundamento da histórica relação entre os dois Estados elevando-a a patamares superiores de parceria estratégica”, afirmou hoje Ulisses Correia e Silva.


Segundo o programa, o primeiro-ministro, no cargo desde 2016, é esperado ainda hoje em Bissau, mas a visita de trabalho tem início na segunda-feira, com um encontro com o primeiro-ministro guineense, Nuno Gomes Nabiam, seguido de um encontro bilateral alargado às duas delegações, que será concluído com a assinatura de acordos de cooperação.


Ulisses Correia e Silva chefia uma delegação que integra ainda os ministros dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Integração Regional, Rui Figueiredo, e do Turismo e Transportes, Carlos Santos, bem como os secretários de Estado da Economia Digital, Pedro Lopes, e do Ensino Superior, Eurídice Monteiro.


Para o chefe do Governo, um “sinal muito claro” do reforço das relações entre os dois países foi a abertura, em 2021, da Embaixada de Cabo Verde em Bissau, seguida da nomeação do primeiro embaixador do arquipélago.


“É uma manifestação de vontade política e de melhorar ainda mais as relações bilaterais e o diálogo político, assim como de afirmação das relações de história, cultura, diplomáticas, mas também, económicas que se pretende ver desenvolvidas”, disse ainda Ulisses Correia e Silva, sobre a visita que vai realizar a Bissau.


Destacou igualmente que a Guiné-Bissau “acolhe uma importante comunidade cabo-verdiana muito bem integrada na sociedade guineense” e que, por outro lado, “a comunidade bissau-guineense continua, atualmente, a representar a maior comunidade estrangeira residente em Cabo Vede, com cerca de 31% do total da população imigrante, que se estima ser 14.347 cidadãos”.


Na agenda para segunda-feira, e após uma declaração à imprensa, o chefe do Governo cabo-verdiano segue para a Assembleia Nacional Popular, onde fará uma visita de cortesia ao presidente do parlamento, Cipriano Cassamá, sendo depois recebido pelo chefe de Estado guineense, Umaro Sissoco Embaló, na Presidência da República.


A encerrar a visita, na terça-feira, o primeiro-ministro cabo-verdiano visita a Escola Nacional da Administração, onde dará uma palestra dedicada ao tema “Estabilidade e Desenvolvimento”, e a Faculdade de Medicina, estando também previsto um encontro com a comunidade cabo-verdiana.



PVJ (MSE) // CSJ


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário