09 Setembro 2022, 06:36

PM diz que deve ser estudado fogo na Serra da Estrela após terminar

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O primeiro-ministro defendeu hoje que, quando o incêndio da serra da Estrela terminar, deve ser estudado “em pormenor” o que poderia ter sido eventualmente feito para evitar que o fogo ganhasse a escala que acabou por adquirir.

“Quando ele terminar, poderemos estudar, e merece ser estudado em pormenor, o que é que foi acontecendo ao longo da ‘fita’ do tempo e que podia ter acontecido de uma forma diferente, ou não, para evitar que o incêndio ganhasse esta escala”, declarou António Costa aos jornalistas.

Questionado sobre o motivo pelo qual não estão a ser usados mais meios aéreos provenientes do mecanismo europeu, Costa respondeu que “os países estão hoje com menor disponibilidade de partilha de meios”, dado que os incêndios decorrem até em territórios onde eram raros, como na Alemanha, e não há meios europeus próprios, estando a decorrer uma compra conjunta de Canadair.

À margem de uma visita a uma creche na Amadora (Lisboa), o líder do Governo salientou que têm existido “várias dezenas de fogos por dia” e, “felizmente, o sistema tem respondido na generalidade dos casos”, considerando que o caso da Serra da Estrela é “particularmente dramático”, durando há já uma semana.

Sem comentários

deixar um comentário