09 Outubro 2022, 01:45

Pneumonia devido a legionela provoca quatro mortos na Argentina

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

Uma pneumonia devido a legionela provocou hoje uma quarta vítima mortal em Tucuman, no noroeste da Argentina, depois de vários dias sem se conhecer a causa destas pneumonias, anunciou o Ministério da Saúde local.

O agente que provocou o surto de pneumonia “é a legionela”, declarou a ministra da Saúde argentina, Carla Vizotti, em conferência de imprensa em Tucuman, acrescentando que o tipo específico de legionella está em processo de qualificação.

A responsável pela pasta da Saúde na argentina vincou que “nunca se tratou de um vírus desconhecido”, mas sim de uma pneumonia de origem desconhecida.

Subiu hoje para quatro o número de mortos provocados pela pneumonia, cuja origem se desconhecia, até hoje.

Dois membros da equipa de enfermagem da clínica privada de San Miguel de Tucuman morreram na segunda e na quarta-feira.

Na quinta-feira, uma mulher de 70 anos, paciente da mesma clínica onde foi operada, morreu.

Um total de 11 pessoas apresentaram sintomas semelhantes e sete ainda estão em tratamento, segundo o ministério.

Dos 10 casos originalmente registados, oito eram profissionais de saúde da mesma clínica privada.

Doenças como covid-19, gripe do tipo A e B e hantavírus já haviam sido descartados.

“Não seria uma doença que resultasse numa transmissão pessoa a pessoa, já que os contactos próximos desses pacientes não apresentam nenhum sintoma”, disse quarta-feira o presidente da Faculdade de Medicina de Tucuman, Hector Dirty.

Sem comentários

deixar um comentário